icons.title signature.placeholder Ivo Felipe
12/12/2013
13:00

Dinamarquês, Morten Soubak enfrentará um dilema na próxima sexta-feira. Como comandante do Brasil, ele terá pela frente a seleção de seu país. E em um duelo importante, que vale a liderança do Grupo B do Mundial Feminino de Handebol, que ocorre na Sérvia. Mas, de acordo com ele, não há nem o que pensar. Pelo contrário: há ainda mais vontade de conseguir um bom resultado para a Seleção Brasileira.

- A única diferença para mim é que eu tenho uma vontade ainda maior de ganhar. Fora isso, não tem nada. Já jogamos contra elas em outras oportunidades, então a sensação é a de que é mais um jogo. Mas, a vontade de ganhar é um pouco maior - disse Soubak, logo após a vitória sobre o Japão, nesta quarta-feira.

O último encontro em torneios de grande calibre entre as seleções ocorreu em 2009. No Mundial de China, já sob a gerência de Morten Soubak - que assumiu o time brasileiro em julho daquele ano -, a Dinamarca saiu vencedora. A equipe nórdica venceu por 27 a 21, o que selou a eliminação brasileira ainda na fase de grupos do torneio.

- Desde o Europeu de 2012, a seleção da Dinamarca está completamente diferente. É uma nova geração, com meninas que estão muito acostumadas a vencer desde as categorias inferiores. Se vão fazer isso entre os adultos, não sei. Mas elas estão acostumadas a chegar longe - completou Morten.

O técnico vive no Brasil desde 2005. Na ocasião, ele assumiu o comando da equipe masculina do Pinheiros de handebol. De lá, saiu para gerenciar a Seleção feminina. Sob sua chefia, as meninas ficaram com a quinta colocação no Mundial do Brasil, em 2011, e em sexto lugar nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012.