icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
13/11/2014
08:03

O ditado popular diz que "clássico é clássico". Mas, a esta altura do campeonato, encontrar um rival histórico é tudo que o Botafogo quer. Ainda mais sendo o Fluminense, que não vence o Glorioso há seis partidas. Em busca de de quatro vitórias em cinco jogos para fugir do rebaixamento à Série B, este confronto é uma luz no fim do túnel do combalido Alvinegro.

A disparidade entre as equipes é óbvia. Basta dar uma olhada na tabela do Campeonato Brasileiro. Enquanto o Tricolor ocupa a sétima colocação e briga por uma vaga na Libertadores do ano que vem, a realidade do Botafogo é a 18ª posição, dentro da zona de rebaixamento.

O volante Gabriel, que esteve presente em quatro dos últimos seis Clássicos Vovô, falou da subida de produção do time em jogos deste porte e pediu "mil clássicos no ano".

– A equipe vai bem em clássicos. Ganhamos do Flamengo... Poderíamos ter mil clássicos no ano. Mas cada jogo é um jogo. Todos aqui do grupo são vitoriosos, mas temos que colocar isso em prática. Não temos mais tempo para tropeçar – disse o camisa 15 que, do alto dos 22 anos, é o quarto jogador com mais partidas pelo Glorioso do atual elenco (118).

Coincidência ou não, a última vitória do Flu sobre o Alvinegro foi justamente quando Fred marcou pela última vez no rival – a maior vítima do atacante desde que desembarcou nas Laranjeiras. Foram dez gols.

Ciente do retrospecto recente no clássico, Fred falou que o Botafogo tem proporcionado desgosto.

– É um adversário que realmente não conseguimos bons resultados na temporada. É uma equipe de qualidade, tem um treinador que entende muito de futebol e tem nos proporcionado esse desgosto – afirmou o camisa 9.

É o melhor rival para o Botafogo? A resposta só virá no sábado.

Vasco também tem sido freguês

Não é apenas o Fluminense que tem levado a pior no confronto direto com o Botafogo recentemente. O Vasco também virou "freguês" alvinegro há algum tempo. Nos últimos dez clássicos, foram seis vitórias para o Glorioso, três para o Cruz-Maltino e apenas um empate.

Destes seis triunfos, dois foram em decisões. Em 2012, o Bota venceu, por 3 a 1, na final da Taça Rio. No ano seguinte, vitória por 1 a 0, na final da Taça Guanabara.