icons.title signature.placeholder Renato Rodrigues
26/04/2014
09:04

Um é campeão do Mundial e da Libertadores pelo Corinthians. Seu reserva imediato, toda vez que entrou, deu conta e quase “roubou“ a posição. O terceiro nome para posição é campeão brasileiro. O quarto, está no clube desde os 16 anos e nunca comprometeu quando teve oportunidades.

Cássio, Walter, Julio Cesar e Danilo Fernandes comemoram hoje o Dia do Goleiro com uma das disputadas mais acirradas por uma posição no Brasil. Se você olhar a Série A, por exemplo, dificilmente vai ver algum adversário com tantas opções para cuidar de sua meta. Terceiro e quarto goleiro, na maioria das vezes, costumam ser promessas das categorias de base.

A experiência do quarteto com a camisa alvinegra é indiscutível. Juntos, eles somam nada mais nada menos que 285 partidas com a camisa do Corinthians.

– O Corinthians hoje tem quatro goleiros do tamanho do clube – afirma Walter, em entrevista ao L!Net.

Titular absoluto também com Mano, Cássio chegou ao clube no fim de 2011 e, apesar de algumas lesões, disputou 102 jogos. Já Walter, que assumiu a posição no fim do ano passado, tem apenas 16, porém o bastante para convencer o Timão a renovar seu contrato até agosto de 2017

Ainda no Corinthians, Julio Cesar (141) e Danilo Fernandes (26), ambos criados nas categorias de base, seguem sua rotina de treinamentos. Mesmo assim, a dupla ainda tem a possibilidade de deixar o Parque São Jorge nos próximos meses. Sem muito espaço no elenco, os dois querem respirar novos ares e aguardam propostas.

Certo é que no Dia do Goleiro, o Timão tem especialistas de sobra.

 

Julio Cesar e Walter

Goleiros do Corinthians, em entrevista exclusiva ao LANCE!Net

Hoje é comemorado o dia do goleiro. Vocês chegam a lembrar da data? É algo para comemorar?
JULIO CESAR: De verdade, eu não lembro muito não, viu (risos). Mas as redes sociais não deixam passar essas coisas hoje em dia. O pessoal dá parabéns, solta algumas coisas de homenagens. Então eu sempre acabo lembrando no fim do dia.

Na hora de escalar só joga um. Como vocês lidam com isso?
WALTER: A nossa disputa é bem natural. A gente se dá super bem no trabalho, ajuda um ao outro, como deve ser. Também temos uma grande amizade, isso ajuda para o dia a dia do clube para trabalhar. Acaba que todos crescemos juntos profissionalmente.

E como é fora de campo? Vocês se reúnem? Juntam as famílias?
JC: Nossas famílias se conhecem, sim. Saímos todo mundo de vez em quando, armamos alguma coisa para fazer nós quatro. Isso é muito bom, tem de ter parceria em tudo, e quando você tem fora de campo também fica mais fácil trabalhar.

E o que o clube ganha em ter quatro goleiros de bom nível no elenco? Em que vocês crescem?
W: A gente sente certa diferença mesmo, com certeza. No trabalho existe mais evolução. Isso porque cada um tem um ponto forte, desde quando chega aqui. Aí você vai pegando isso com o outro durante todos os trabalhos. Passa a olhar e fazer o mesmo para você. Realmente o Corinthians tem hoje quatro goleiros do tamanho do clube. É muito bom. Crescemos em tudo na carreira. Em técnica, força, velocidade... Cada um passa uma experiência para o outro no dia a dia.

Um ajuda a motivar o outro?
JC: Tem de ajudar, rola essa motivação entre a gente. Acho que tudo no mundo que você faz, volta para você um dia. É o que acontece entre a gente aqui no Corinthians. Independentemente de quem está como titular, tem de ajudar sempre.