icons.title signature.placeholder Carlos Alberto Vieira
26/06/2014
17:27

Definitivamente Manaus deu muita sorte na Copa do Mundo. O evento foi um êxito e sem violência, sendo muito elogiado por todos. Somente no dia seguinte ao fim dos jogos na sua sede foi que ocorreu um dos grandes medos das autoridades: uma forte chuva capaz de comprometer ainda mais a complicada mobilidade urbana no entorno do estádio. Na quarta-feira passada,  um temporal de 40 minutos assustou. Mas a chuva parou duas horas antes do jogo entre Suíça e Honduras. Nesta quinta-feira, por volta das 15h (de Brasília), caiu o dilúvio. Em meia hora, as principais ruas do centro da cidade ficaram alagadas.

- Nos últimos cinco anos não tinha visto uma chuva como essa - disse o jornaleiro Antonio, ilhado na sua banca.

O trânsito chegou a parar na Rua 7 de setembro. Na Getúlio Vargas, principal elo de ligação do centro com o estádio,  a água chegava a estar acima da metade da calota  dos pneus dos carros. O trânsito só começou a fluir a partir das 17h (se fosse um dia antes, a bola já estaria rolando na Arena)

Um torcedor suíço que ainda se encontra na cidade resolveu registrar o momento tirando uma foto enquanto passava um rio à porta de um hotel.

- Se hoje tivesse jogo não daria para ir  - comentou.


Talvez nem tivesse jogo. Manaus sofreu com a chuva. Mas nisso a Copa deu sorte.