icons.title signature.placeholder Thiago Correia
25/07/2014
17:53

Era um jogo de festa, de celebração pela despedida do Deco no Estádio do Dragão, e o empate do Porto de 2004 contra o Barcelona de 2006 pouco importou nesta sexta-feira. Mas sim o adeus ao maior ídolo dos últimos anos do clube português e dos catalães. Ingressos esgotados, muitos gritos pelo craque, que jogou ainda por Chelsea e Fluminense, e momentos memoráveis. Messi, que entrou no segundo tempo, foi destaque, e o dono da festa marcou dois, um por cada lado.

Campeão europeu pelos dois clubes, justamente os dos times presentes, Deco reuniu várias estrelas, como Eto'o, Messi (ambos começaram no banco), Davids, Giuly, Vítor Baía, Paulo Ferreira, Costinha, Maniche e outros. O ex-goleiro do Porto, aliás, recebeu quase tantos aplausos quanto o Mágico. As ausências ficaram por conta de Xavi, Iniesta, Valdés, Ronaldinho Gaúcho, que perdeu o voo, e José Mourinho, que mandou uma mensagem para o ídolo e passou no telão do Estádio do Dragão. As surpresas foram Djalminha, que ficou se exibindo no intervalo, e Luizão.


Em campo, muita calma, pouco compromisso, algumas barriguinhas já aparecendo, e bons momentos de futebol. Deco se esforçou e protagonizou bonitos lances, alguns jogadores correram, como Giuly, Pedro Mendes e Nuno Valente, e a festa foi bonita para o Mágico.

Estádio do Dragão recebeu 49.410 fãs para despedida de Deco (Foto: AFP)

O JOGO
Porto começou jogando no melhor estilo Barcelona. Rodando a bola e distribuindo passes. Não demorou para o gol sair. McCarthy fez jogada perto da área e deixou Derlei na cara do gol. O Ninja não desperdiçou e guardou. Quase veio o segundo após lindo lançamento de Deco para o brasileiro que havia aberto o placar. Dominou e tocou pelo alto para o sul-africano, que botou na trave.

No segundo gol, Deco participou diretamente do gol. Na verdade, abriu mão de marcá-lo. Recebeu lançamento de Pedro Mendes, e ao invés de chutar, tocou para McCarthy, que dessa vez colocou para dentro.


Parada para uma mensagem de José Mourinho, técnico do Porto no título no título de 2004, que não conseguiu estar presente. Depois disso, o jogo ficou ainda mais com cara de "pelada". Ainda mais quando Deco saiu, para ser ovacionado e voltar depois com a camisa do Barcelona. Davids era um que se divertia e divertia o público com toques de classe.

No segundo tempo, com Deco, Eto'o, Henry e Vítor Baía pelo Barça, o time espanhol veio melhor. O argentino, que fez sua primeira partida como profissional justamente no Dragão, era até mais celebrado que o dono da festa. E ele retribuiu o carinho e fez uma linda jogada de velocidade, que acabou com gol de Eto'o. Mas o melhor foi depois. Jorge Andrade, com uma barriguinha já grande, foi zombado pelo argentino, por Deco, por todos.

             Messi e Deco fizeram a alegria dos torcedores no Estádio do Dragão (Foto: AFP)

E enfim o gol de Deco. O craque tocou para Messi, que não venceu o goleiro Bruno Vale. O camisa 20 pegou o rebote e marcou por cobertura. Pouco depois o desempate. Jankauskas aproveitou rebote de Vítor Baía e marcou. Depois Eto'o voltou a colocar o jogo em igualdade, e o telão mostrou uma mensagem do ex-lateral Roberto Carlos.

Na reta final, Messi fez de cabeça e quase garantiu a vitória do Barcelona em uma noite inesquecível para Deco, que ainda voltou a mudar de time e encerrou pelo Porto. Acabou fazendo o golaço de empate.

* O repórter viaja como convidado do FC Porto Brasil