icons.title signature.placeholder Paulo Victor Reis
21/03/2014
08:29

Para situar melhor o leitor quanto ao que de fato ocorreu com o Engenhão – fechado há um ano por problemas na cobertura –, o LANCE!Net foi em busca de quem ainda exige explicações a respeito da situação do estádio, que, ao que parece, ainda não foi completamente esclarecida. Segundo algumas autoridades, muitas perguntas ainda precisam de resposta.

Presidente da Comissão Externa do Legado da Copa e da Olimpíada, o deputado federal Alessandro Molon (PT-RJ) fez duras críticas a todos os envolvidos na construção.

– Isso tudo é lamentável, uma vergonha. O povo mais uma vez paga a conta. O Engenhão é um equipamento que deveria estar à disposição da população. Houve falhas de engenharia na execução do projeto – comentou o parlamentar, que criticou também o que ele chama de “falta de transparência”.

– Pedimos à prefeitura para ter acesso a toda a documentação relacionada ao estádio. Recebemos os documentos com enorme atraso, meses de espera – contou Molon.

O vereador Eliomar Coelho, que  é engenheiro civil, disse ao LANCE!Net que a obra é exemplo do que não se deve fazer em engenharia.

– Houve mudanças de construtoras ao longo da obra e inexistência de diálogo dos responsáveis pela obra com os vereadores interessados em acompanhar tudo. Estamos falando de dinheiro do povo – criticou Eliomar, que relatou dificuldades para fazer uma vistoria no estádio com outros vereadores.

Em junho do ano passado, a promotora Gláucia Santana, do Ministério Público do estado do Rio (MP-RJ), instaurou inquérito para apurar o caso. O órgão informou ao LANCE!Net que o inquérito “segue com o exame do processo administrativo, dos relatórios de auditorias e dos laudos”. O MP-RJ analisa ainda se é caso de condenação. Também é investigada a forma como está sendo feita a obra, qual o custo e quem deveria arcar com os gastos.