icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
04/03/2014
09:38

O julgamento que pode mudar para sempre a vida do astro paralímpico Oscar Pistorius, que começou nesta segunda-feira, prossegue nesta terça. Acusado de ter matado a tiros a sua ex-namorada Reeva Steenkamp, o sul-africano viu uma outra vizinha testemunhar nesta terça, no Tribunal de Pretória (AFS).

Estelle Van Der Merwe, que mora a menos de 100m do paratleta, testemunhou nesta terça. Ela detalhou que foi dormir às 21h (horário local) na noite do ocorrido. Segundo a moradora do condomínio, ela acordou perto das 2h e disse:

- Parecia que alguém estava envolvido em uma briga. Pessoas estavam falando em alto tom. Eu coloquei um travesseiro na minha cabeça com a esperança de dormir novamente... Escutei quatro tiros, soou como 'bang, bang'. É o máximo que posso ajudar.

Durante o testemunho de Van Der Merwe, o promotor Gerrie Nel precisou fazer interrupções para pedir calma à vizinha de Pistorius, que, segundo disse Nel, estava "terrivelmente tensa".

Marido de Michelle Burger, a primeira vizinha a prestar depoimento, Charl Peter Johnson também testemunhou nesta terça, logo após Van Der Merwe. Apesar de não ter concluído o seu depoimento nesta terça, ele admitiu ter escutado gritos provenientes da residência, mas estava convicto de se tratar de uma invasão.

- Quando eu ouvi o grito da mulher, eu pulei da cama e corri para a varanda que fica no primeiro andar. Podia perceber que ela estava com problemas, estava claramente pedindo socorro. Mais tarde, um homem pediu por socorro três vezes - disse Johnson, que depois acrescentou que estava seguro de que se tratava de uma invasão na casa e ficou surpreso ao ler nos noticiários do dia seguinte que Pistorius havia atirado em Reeva.

Michelle Burger foi a primeira vizinha de Pistorius a dar informações ao tribunal. Ela disse que ouviu gritos femininos vindos da residência pouco antes de escutar tiros e manteve as informações na conclusão de seu depoimento nesta terça.

Na segunda-feira, Barry Roux, o advogado de defesa de Pistorius, retrucou Burger e afirmou que em momentos de nervosismo, o grito de Pistorius pode parecer o de uma mulher. Ele também disse que Burger pode ter confundido o barulho dos disparos com o som produzido pelo taco de cricket, utilizado por Pistorius para quebrar a porta do banheiro.

Vale lembrar que a defesa diz que Pistorius confundiu Reeva Steenkamp, sua ex-namorada da qual é acusado de ter matado a tiros, com um ladrão que teria invadido a residência.

A morte de Reeva, que à época tinha 29 anos, ocorreu na noite de 14 de fevereiro de 2013. Mais de 100 testemunhas ainda serão levadas em consideração no julgamento, que está agendado para até o dia 20 de março.

*Atualizada às 11h