icons.title signature.placeholder RODRIGO CERQUEIRA
15/06/2014
17:45

Treino é treino e jogo é jogo, já diz um ditado muito popular entre os futebolistas. Porém, após ter lavado uma surra de 5 a 1 da Holanda na Arena Fonte Nova, pelo Grupo B da Copa do Mundo, os trabalhos da Espanha passaram a ter um objetivo claro: fazer gols. Neste domingo, no CT do Caju, em Curitiba, Fàbregas e Xabi Alonso cobraram uma postura diferente da equipe, pedindo mais ofensivade. Seria o fim do tiki-taka? Já no treino da tarde, o técnico Del Bosque colocou seus comandados para realizarem o famoso treino de dois toques em campo reduzido, mas foi possível observar seus pedidos por "gol" durante a atividade.

Com quatro gols negativos de saldo, a Espanha só tem um caminho contra o Chile, nesta quarta-feira, no Maracanã: vencer por um placar elástico. O rival tem saldo positivo de dois, mas caso consiga uma vitória expressiva, a Fúria enfrentará a Austrália na última rodada "mais tranquila".

No treino deste domingo no CT do Caju, Del Bosque não abriu mão do tiki-taka. Os jogadores voltaram a trabalhar desta forma. Duas equipes foram divididas, o treinador não deu muitas pistas sobre mudanças no time, mas foi bem participativo na atividade. A todo momento passava orientações, pedia, cobrava e lembrava que é preciso fazer gols.

Uma das possibilidades é a entrada de Pedro na equipe. David Silva pode perder a vaga entre os titulares. Trocas em outras posições também podem acontecer. Juanfran na lateral direita na vaga de Azpilicueta, Koke no lugar de Xavi e Torres ou Villa para substituir Diego Costa... São as principais situações estudadas pelo treinador para colocar o time mais ofensivo, com maior poder de fogo, sem perder por inteiro a característica do tiki-taka.

Casillas participou do treino ao lado de Pepe Reina. Ambos fizeram um trabalho em separado em relação aos demais companheiros. Revezaram e treinaram saídas de bola, reflexo e a parte física.