icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
15/06/2014
06:30


O pequeno David Luiz, de um ano e oito meses: nome inspirado no zagueiro da Seleção (foto: Ari Ferreira) 

Depois de Neymar, é a vez da “David Luiz Mania” na Seleção Brasileira. Carismático e de repertório vasto de caretas, o zagueiro ganhou o público brasileiro – do qual se afastou por ter saído cedo demais do país, aos 20 anos – e tem feito sucesso em Teresópolis, onde a equipe se prepara desde o dia 26 de maio. A identificação com os torcedores é tão grande que crianças já são batizadas com seu nome.

É o caso do pequeno David Luiz Monteiro, de um ano e oito meses, uma homenagem do pai Rafael Gomes de Barros Monteiro, 25 anos.

– Eu acompanho o David Luiz desde os tempos do Benfica, onde ele jogava. Gostava do estilo dele. Depois, foi para o Chelsea e passou a jogar ainda mais. Sou fã! Por isso eu decidi dar o nome dele para o meu filho – conta o pai Monteiro.


A família mora em Guapimirim, a 17 quilômetros de Teresópolis. Ontem, ele, o filho, o sogro e mais três crianças foram ao condomínio ao lado da Granja Comary para conhecer David Luiz e os demais jogadores pessoalmente. O zagueiro, sempre solícito, ficou comovido com a homenagem e entregou ao pequeno homônimo a sua camisa. A reação do pequeno David Luiz foi tocante. Tirou a que usava, vestiu o presente e, com largo sorriso, saiu correndo arrastando a camisa no chão.

– Ele é muito simpático e melhor do que todos os outros jogadores. Ficamos emocionados com a atenção dele. Eu estava com o meu filho no braço, não acreditei quando ele veio.

Sem camisa, David Luiz, o jogador, despediu-se e foi sem camisa para o seu quarto no hotel da Granja.

Entre os mais de 400 torcedores presentes, também apareceu um sósia do zagueiro recém-contratado pelo Paris Saint-Germain. Lucas Martuchelli ganhou autógrafo e gargalhadas do David original.

– Sou modelo há algum tempo, fiz alguns ensaios e fotos para um shopping. Sou parecido com ele fisicamente e também no futebol – disse, entre gargalhadas Martuchelli.

– O Dia dos Pais está chegando, posso até fazer o filho dele numa propaganda se quiserem – emendou.


Lucas Martuchelli, cover de David Luiz, com o original na Granja Comary (Reprodução L!TV)

BATE-BOLA COM RAFAEL GOMES DE BARROS MONTEIRO, pai do pequeno David Luiz

O que você vai fazer com a camisa que seu filho ganhou?
Vai para o quadro, com certeza. Vou comprar uma caneta para tecido, reacender o autógrafo que ele deu, enquadrar e pendurar na parede.

Ficou surpreso com a postura do David Luiz ao atendê-lo na grade do condomínio e presentear seu filho com a camisa?
Ah, ele é demais, acho que é o melhor de todos que estão lá na Seleção. E foi uma sensação inexplicável, né? Ele ir ali, falar com a gente, tirar a camisa e dar para o meu filho... Vai ficar na nossa memória para sempre. E ficamos felizes de poder ir lá e passar incentivo para eles nessa Copa.

FALA, DAVID LUIZ!

“Eu construí minha carreira na Europa, são quase nove anos fora do Brasil, mas sempre tive o sonho de representar minha nação. Sentia falta de tocar o coração dos brasileiros. Posso dizer que esse carinho é recíproco”, sobre ter saído em 2007, com 20 anos, para jogar no Benfica, de Portugal e estar há sete anos longe do Brasil.