icons.title signature.placeholder Bruno Grossi e Marcelo Damato
02/07/2014
16:10

Durante as negociações para repatriar Kaká por empréstimo até o fim deste ano, o São Paulo já se organizava para promover a melhor recepção possível ao meia no Morumbi. Para isso, a camisa 22, número com o qual o craque fez história no Milan (ITA), já estava separada, mas os planos foram frustrados com a decisão do jogador em nunca usar a numeração com outra camisa que não fosse a rossonera.

A 22 são-paulina ficou vaga em junho com o fim do contrato do colombiano Dorlan Pabon, hoje no Monterrey (MEX). O desejo de Kaká, então, falou mais alto e o clube teve de providenciar a 8 para o meia revelado em 2001 no Tricolor. Kaká permaneceu no Morumbi até 2003 sempre com o número às costas. Na Seleção Brasileira, a 8 só foi deixada de lado para usar a 10 na Copa do Mundo da África do Sul.

O problema é que a camisa pertence a Souza, mas o volante já aceitou cedê-la para o novo companheiro e solicitou sua nova numeração. No segundo semestre, o jogador emprestado pelo Grêmio passará a vestir a 5, vaga desde que Wellington foi cedido por empréstimo ao Internacional.

Kaká também já tem definida a camisa que usará a partir de 2015 no Orlando City (EUA). Na última terça-feira, quando foi apresentado oficialmente no time da Flórida, o meia recebeu a camisa 10 das mãos do brasileiro Flávio Augusto da Silva, dono da franquia, e do inglês Phil Rawlins, presidente dos Lions.