icons.title signature.placeholder Alexandre Araújo
icons.title signature.placeholder Alexandre Araújo
09/07/2013
08:04


Todo treinador gosta de ter no elenco jogadores que façam mais de uma função. No caso de Mano Menezes, no Flamengo, este atleta é Elias. Capaz de jogar em diversas posições – já foi até lateral-direito nesta temporada –, ele pode desempenhar um novo papel amanhã, contra o ASA, em Arapiraca, pela Copa do Brasil.

Nesta partida, pela terceira fase da competição, o camisa 8 deve jogar um pouco mais avançado, aparecendo como homem surpresa e ajudando também na criação. Vai reviver a época na qual defendia o Corinthians, quando tinha liberdade para atacar e não ficava tão preso à marcação. Isso será possível com a chance de o volante Val entrar na equipe, no lugar de Carlos Eduardo (veja mais abaixo).

Elias jogará como armador contra o ASA (Foto: Bruno de Lima/LANCE!Press)

Contra o Coritiba, enquanto Carlos Eduardo estava em campo, Elias ficou mais preso. Com a entrada de Val, ele pôde ir à frente. E não foram poucas as vezes que apareceu na área adversária. Em algumas jogadas, inclusive, estava mais adiantado que Gabriel ou Paulinho, que atuam de forma mais ofensiva. Após o confronto, o técnico já tinha dado a entender que poderia fazer tal experiência desde o início dos jogos, ao comentar a saída de Carlos Eduardo.

– Foi uma alteração tática. Quando acontece isso, o Elias pode aparecer mais no ataque. Ele chegou na frente duas ou três vezes, uma com condição de marcar – justificou o treinador no sábado.

Mano já pediu a chegada de reforços que tragam mais experiência. Enquanto isso não acontece, Elias está mostrando por que é um dos principais jogadores do elenco.

Com a palavra

Renato Rodrigues
Repórter do Núcleo Corinthians

O ‘primeiro’ volante surpresa do Corinthians

"No Corinthians e, especialmente comandado por Mano Menezes, Elias "começou" a moda de volantes alvinegros que chegam ao ataque como elemento surpresa. Depois dele vieram Jucilei, Paulinho...

O seu pulmão especial lhe dava a condição de motor do time no esquema de Mano. O treinador tinha um jogador a menos para marcar, já que Ronaldo sequer tentava fechar espaços. Elias vinha de trás, com muita velocidade e aparecia na cara do gol constantemente.

Depois de um início com a pontaria ruim, Elias aprendeu a finalizar e fez muitos gols. Esse seu lado ofensivo nunca comprometeu o defensivo e, por isso, ele saiu em alta do Parque São Jorge."


Todo treinador gosta de ter no elenco jogadores que façam mais de uma função. No caso de Mano Menezes, no Flamengo, este atleta é Elias. Capaz de jogar em diversas posições – já foi até lateral-direito nesta temporada –, ele pode desempenhar um novo papel amanhã, contra o ASA, em Arapiraca, pela Copa do Brasil.

Nesta partida, pela terceira fase da competição, o camisa 8 deve jogar um pouco mais avançado, aparecendo como homem surpresa e ajudando também na criação. Vai reviver a época na qual defendia o Corinthians, quando tinha liberdade para atacar e não ficava tão preso à marcação. Isso será possível com a chance de o volante Val entrar na equipe, no lugar de Carlos Eduardo (veja mais abaixo).

Elias jogará como armador contra o ASA (Foto: Bruno de Lima/LANCE!Press)

Contra o Coritiba, enquanto Carlos Eduardo estava em campo, Elias ficou mais preso. Com a entrada de Val, ele pôde ir à frente. E não foram poucas as vezes que apareceu na área adversária. Em algumas jogadas, inclusive, estava mais adiantado que Gabriel ou Paulinho, que atuam de forma mais ofensiva. Após o confronto, o técnico já tinha dado a entender que poderia fazer tal experiência desde o início dos jogos, ao comentar a saída de Carlos Eduardo.

– Foi uma alteração tática. Quando acontece isso, o Elias pode aparecer mais no ataque. Ele chegou na frente duas ou três vezes, uma com condição de marcar – justificou o treinador no sábado.

Mano já pediu a chegada de reforços que tragam mais experiência. Enquanto isso não acontece, Elias está mostrando por que é um dos principais jogadores do elenco.

Com a palavra

Renato Rodrigues
Repórter do Núcleo Corinthians

O ‘primeiro’ volante surpresa do Corinthians

"No Corinthians e, especialmente comandado por Mano Menezes, Elias "começou" a moda de volantes alvinegros que chegam ao ataque como elemento surpresa. Depois dele vieram Jucilei, Paulinho...

O seu pulmão especial lhe dava a condição de motor do time no esquema de Mano. O treinador tinha um jogador a menos para marcar, já que Ronaldo sequer tentava fechar espaços. Elias vinha de trás, com muita velocidade e aparecia na cara do gol constantemente.

Depois de um início com a pontaria ruim, Elias aprendeu a finalizar e fez muitos gols. Esse seu lado ofensivo nunca comprometeu o defensivo e, por isso, ele saiu em alta do Parque São Jorge."