icons.title signature.placeholder Marcello Vieira e Sérgio Arêas
15/12/2013
08:04

A velha queda de braço para definir a contratação de treinador pelo Fluminense volta a acontecer. Em pauta, três nomes. Renato Gaúcho é o preferido de Celso Barros, presidente da patrocinadora. Já Peter Siemsen, Felipe Ximenes e demais integrantes da cúpula de futebol do clube, que se reuniram ontem à tarde, no complexo Le Monde, na Barra da Tijuca, querem Tite ou Ney Franco.

Na segunda-feira, quando convocou uma coletiva para anunciar a saída de Rodrigo Caetano e a contratação de Felipe Ximenes para comandar o futebol tricolor na temporada, Peter Siemsen deixou claro que será dele a escolha do novo treinador do Fluminense.

– Quem vai tomar a decisão sou eu. Podem perguntar a mim mesmo e poderão obviamente perguntar ao novo gestor – disse.
O presidente tricolor também comentou brevemente sobre um possível interesse em Renato Gaúcho e preferiu exaltar o fato dele ser um ídolo da torcida.

– Renato é um ídolo do Fluminense – pontuou.

Tite, que tem a simpatia de Peter, Ximenes & Cia., já foi sonho de consumo de Celso Barros, mas algumas tentativas frustradas no passado teriam deixado o presidente da patrocinadora magoado.

Ney Franco, que seria um nome de consenso, era o preferido de Peter para substituir Abel Braga no Brasileirão. Mas um pedido de Celso Barros fez a balança pender para Vanderlei Luxemburgo. O fato de a passagem de Luxa pelas Laranjeiras ter se mostrado na prática um erro pode pesar a favor de Ney Franco ou Tite, com ligeira preferência para ex-treinador do Vitória. O presidente tricolor, inclusive, conversou com Ney semana passada, em Salvador, antes de o Flu jogar o destino no Campeonato Brasileiro contra o Bahia.