icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
17/07/2013
10:35

Se o empate contra o Olimpia, nesta quarta, pela primeira final da Copa Libertadores, é um resultado que agradaria uma grande quantidade de torcedores do Atlético-MG, o pensamento do técnico Cuca é conseguir a vitória e evitar que o 'Decano' consiga jogar de forma recuada e fechada no Mineirão.

O treinador do Galo lembrou o começo da eliminação do Fluminense para este mesmo Olimpia, quando empatou em 0 a 0 no Engenhão, na ida, após parar no forte esquema defensivo de uma equipe que se abdicou de ter a bola.

- Eles tem 50% de chance e temos nosso 50%, é ser inteligente e saber decidir desde amanhã (quarta), partir para cima deles e tentar ganhar aqui, lá (Belo Horizonte) eles fazem um 5-4-1, bem fechado como fizeram contra o Fluminense, e empataram. É ter grandeza. Saber que somos uma equipe madura. Já jogamos contra 50 mil pessoas. Vai ter 40 mil que na outra quarta-feira é a nossa vez – afirmou o treinador, à Rádio Itatiaia.

Cuca pode entrar para a história do Atlético como o treinador responsável por dar a glória inédita da Libertadores. E, na sua cabeça, a taça tão aguardada merece ficar com o Galo, como um presente para sua fiel torcida sedenta de títulos.

- É um título que a gente busca há muito tempo, o atleticano mesmo busca há muito, muito tempo e nós, hoje, que somos os representantes diretos dele, temos a chance de presenteá-lo com essa conquista. Não vamos medir esforços para levantar esse caneco.

Cuca quer Galo jogando naturalmente, sem pressão externa

Se o empate contra o Olimpia, nesta quarta, pela primeira final da Copa Libertadores, é um resultado que agradaria uma grande quantidade de torcedores do Atlético-MG, o pensamento do técnico Cuca é conseguir a vitória e evitar que o 'Decano' consiga jogar de forma recuada e fechada no Mineirão.

O treinador do Galo lembrou o começo da eliminação do Fluminense para este mesmo Olimpia, quando empatou em 0 a 0 no Engenhão, na ida, após parar no forte esquema defensivo de uma equipe que se abdicou de ter a bola.

- Eles tem 50% de chance e temos nosso 50%, é ser inteligente e saber decidir desde amanhã (quarta), partir para cima deles e tentar ganhar aqui, lá (Belo Horizonte) eles fazem um 5-4-1, bem fechado como fizeram contra o Fluminense, e empataram. É ter grandeza. Saber que somos uma equipe madura. Já jogamos contra 50 mil pessoas. Vai ter 40 mil que na outra quarta-feira é a nossa vez – afirmou o treinador, à Rádio Itatiaia.

Cuca pode entrar para a história do Atlético como o treinador responsável por dar a glória inédita da Libertadores. E, na sua cabeça, a taça tão aguardada merece ficar com o Galo, como um presente para sua fiel torcida sedenta de títulos.

- É um título que a gente busca há muito tempo, o atleticano mesmo busca há muito, muito tempo e nós, hoje, que somos os representantes diretos dele, temos a chance de presenteá-lo com essa conquista. Não vamos medir esforços para levantar esse caneco.

Cuca quer Galo jogando naturalmente, sem pressão externa