icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
04/07/2013
00:58

A arbitragem do chileno Enrique Osses, na derrota do Atlético-MG por 2 a 0 para Newell’s Old Boys (ARG), no jogo de ida da semifinal da Libertadores, não agradou Cuca. Ao término da partida, o técnico do Galo enalteceu a força do time de Rosário ao lado de sua torcida, mas ressaltou que a atuação do árbitro foi primordial para o revés na Argentina.

Segundo o treinador, três lances capitais do embate contaram com a interferência do chileno. Ele questiona os dois gols anotados pelos Leprosos e a anulação de um assinalado por Jô. Na ocasião, depois de marcação de impedimento do atacante.

– Não é choro. Na dúvida, é tudo contra. É falta que não existe e gera gol. É muito complicado. Quando um árbitro iria anular um gol que fizemos se fosse deles? Milimétrico. É uma arbitragem muito ruim. Tendenciosa de todas as formas, isso fez a diferença no jogo. No primeiro gol, o Rafael Marques é seguro. No gol que fizemos e, no segundo, o Gilberto Silva sobe normalmente na bola. Foram lances capitais – avaliou.

E MAIS:
> Ronaldinho garante: ‘Nós vamos dar a volta por cima, vamos chegar à final’
> Bernard diz que time jogou bem, mas recuou demais na segunda etapa

Embora tenha lamentado a exibição do árbitro, Cuca lembra o gol perdido por Bernard ainda no primeiro tempo, quando o camisa 11 tentou um drible equivocado na cara do gol. Ele ainda destaca a qualidade do adversário.

– Lances da partida que sabíamos que era complicado. Eles (Newell’s Old Boys) têm uma força muito grande de ataque. É um time que joga muito bem, vem com o calor da torcida muito forte. Perdemos a chance do jogo, a chance mais clara da partida foi a nossa. Começamos melhor o segundo tempo – finalizou.

A arbitragem do chileno Enrique Osses, na derrota do Atlético-MG por 2 a 0 para Newell’s Old Boys (ARG), no jogo de ida da semifinal da Libertadores, não agradou Cuca. Ao término da partida, o técnico do Galo enalteceu a força do time de Rosário ao lado de sua torcida, mas ressaltou que a atuação do árbitro foi primordial para o revés na Argentina.

Segundo o treinador, três lances capitais do embate contaram com a interferência do chileno. Ele questiona os dois gols anotados pelos Leprosos e a anulação de um assinalado por Jô. Na ocasião, depois de marcação de impedimento do atacante.

– Não é choro. Na dúvida, é tudo contra. É falta que não existe e gera gol. É muito complicado. Quando um árbitro iria anular um gol que fizemos se fosse deles? Milimétrico. É uma arbitragem muito ruim. Tendenciosa de todas as formas, isso fez a diferença no jogo. No primeiro gol, o Rafael Marques é seguro. No gol que fizemos e, no segundo, o Gilberto Silva sobe normalmente na bola. Foram lances capitais – avaliou.

E MAIS:
> Ronaldinho garante: ‘Nós vamos dar a volta por cima, vamos chegar à final’
> Bernard diz que time jogou bem, mas recuou demais na segunda etapa

Embora tenha lamentado a exibição do árbitro, Cuca lembra o gol perdido por Bernard ainda no primeiro tempo, quando o camisa 11 tentou um drible equivocado na cara do gol. Ele ainda destaca a qualidade do adversário.

– Lances da partida que sabíamos que era complicado. Eles (Newell’s Old Boys) têm uma força muito grande de ataque. É um time que joga muito bem, vem com o calor da torcida muito forte. Perdemos a chance do jogo, a chance mais clara da partida foi a nossa. Começamos melhor o segundo tempo – finalizou.