icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
09/04/2014
23:56

Sem dar chances ao Real Garcilaso, o Cruzeiro atropelou, como havia adiantado o diretor Alexandre Mattos ainda na partida entre as equipes, no Peru, e se classificou às oitavas de final sem depender do resultado entre Defensor e Universidad de Chile, que se enfrentaram no Uruguai.

Com gols de Ricardo Goulart, Bruno Rodrigo e Júlio Baptista, a Raposa venceu a equipe peruana por 3 a 0 em um placar feito ainda na etapa incial, para delírio dos mais de 40 mil torcedores no Mineirão.

Com os 3 a 0 aplicados no Mineirão, o Cruzeiro conseguiu a classificação às oitavas que parecia distante após a quarta rodada. O time celeste terminou o grupo 5 com 10 pontos na segunda colocação. No Uruguai, o Defensor empatou com a Universidad de Chile por 1 a 1 e ficou com a primeira colocação, somando 11 pontos. Apesar dos mesmos 10 pontos que o Cruzeiro, a La U termina a fase de grupos no terceiro posto, ficando de fora das oitavas pelo saldo de gols. O Real Garcilaso foi o lanterna, com apenas uma vitória.

RAPOSA CONSTRÓI PLACAR NO PRIMEIRO TEMPO 

Pressionando desde o início da partida, o Cruzeiro só precisou de pouco mais de 20 minutos para começar a construir o placar necessário. Ponto forte do time mineiro, a bola aérea foi essencial para chegar ao resultado. Pelo lado direito, Mayke cruzou para Ricardo Goulart abrir o marcador depois de já ter marcado dois gols irregulares por conta de impedimento. Em menos de cinco minutos, agora pelo lado esquerdo, Éverton Ribeiro cobrou escanteio e Bruno Rodrigo subiu mais alto para marcar o segundo, de cabeça.

Mais tranquilo após o segundo gol, o Cruzeiro ameaçou tirar o pé do acelarador, mas continuou em cima. O Real Garcilaso pouco fez, chamando mais atenção para a cera dentro de campo, e nem sequer ameaçou o gol de Fábio. Ao fim do primeiro tempo, minutos depois da Universidad de Chile abrir o placar no Uruguai (o que eliminaria o Cruzeiro), Ricardo Goulart realizou uma ótima jogada individual, deixando Júlio Baptista na cara do gol. Com muita elegância e um leve toque, o centroavante tirou do goleiro e marcou o gol que daria a classificação ao Cruzeiro independente de qualquer outro resultado.


           Fábio comemora classificação do Cruzeiro na Libertadores (Foto: Douglas Magno/AFP)

Com a mesma dinânica, apesar de um ritmo menos alucinante, o Cruzeiro permaneceu em cima na etapa final e o panorama do jogo seguiu em ataque contra defesa. O Garcilaso passou a tocar mais passes quando ficava com a bola, mas Fábio seguiu como mero expectador na partida. A torcida pediu e Marcelo Oliveira promoveu a entrada de Elber, dando mais velocidade em campo. Borges e Alisson também participaram do jogo, mas o clube, já com o placar necessário independente de qualquer jogo, apenas administrou o resultado e esperou pelo apito final.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 3 x 0 REAL GARCILASO

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data-hora: 8/4/2014 – às 22h
Árbitro: Adrian Velez (COL)
Assistentes: Wilson Berrio (COL) e Rafael Rivas (COL)

GOLS: Ricardo Goulart, 23'/1ºT (1-0), Bruno Rodrigo, 26'/1ºT (2-0), Júlio Baptista, 41'/1ºT (3-0)
Cartões amarelos: Egídio (CRU), Jhoel Herrera, Huerta, Santillán, Lojas (GAR) 
Cartão vermelho: Não houve. 
Público/Renda: 42.775 pagantes/R$1.706.160,00  

CRUZEIRO: Fábio; Mayke, Bruno Rodrigo, Dedé e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Éverton Ribeiro (Alisson - 40'/2ºT) e Ricardo Goulart (Elber - 26'/2ºT); Dagoberto (Borges - 32'/2ºT) e Júlio Baptista. Técnico: Marcelo Oliveira.

REAL GARCILASO (PER): Pretel; Gonzalo Maulella, Jhoel Herrera, Jaime Huerta (Lojas - Intervalo) e Cristian García (Carlos Flores - 37'/1ºT); Ezequiel Britez, César Ortiz, Retamozo e Santillán; Ramúa (Digno González - 34'/2ºT) e Ramón Rodríguez. Técnico: Fredy García.