icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
05/02/2015
14:04

A agressão e a consequente punição a Cristiano Ronaldo deixou a todos no Real Madrid preocupados. Foram apenas duas partidas de gancho, até certo ponto comemorado, pois o jogador ficou livre para enfrentar o Atlético de Madrid. Afinal, sem o seu principal jogador, como o time iria se comportar em campo contra Real Sociedad e Sevilla? Qual esquema tático o técnico Carlo Ancelotti iria adotar para suprir a ausência de CR7?

A postura tática do Real Madrid foi bastante alterada. Se o time não tinha mais a referência do português no ataque, os outros astros tinham a obrigação de chamar a responsabilidade e dar fluência às jogadas.

E MAIS
- CR7 vence eleição e é escolhido o melhor jogador da história da Premier League
- Dérbi já começou! Lateral do Real apimenta clássico contra o Atlético

Os dois jogos foram no Santiago Bernabéu, e a torcida foi uma verdadeira aliada. A maior mudança foi a disposição tática dos jogadores de meio em campo. No lugar de Cristiano Ronaldo, Carlo Ancelotti optou pela entrada de um volante.

Contra a Real Sociedad, Illarramendi ocupou a cabeça de área, com Toni Kroos um pouco à frente. Bale foi deslocado para o ataque na posição de CR7, para fazer companhia ao francês Benzema. Na posição do galês, o técnico do Real deslocou James Rodríguez, atuando pela extrema direita. No lado oposto, jogou Isco.


Real Madrid que entrou em campo contra a Real Sociedad

A vitória por 4 a 1 deixou claro que o esquema adotado pelo técnico Ancelotti foi o mais adequado na ausência de Cristiano Ronaldo. O time soube se portar bem após sair atrás no placar, mas não demorou para virar. James Rodríguez, em sua nova função, Sergio Ramos e Benzema, duas vezes, anotaram os gols merengues. Destaque para o francês, que ocupou os espaços dentro da área e marcou um golaço fora dela, em chute comum de ser visto saindo dos pés do Melhor do Mundo.


Benzema marcou duas vezes contra a Real Sociedad (Foto: Curto de la Torre/AFP)

O grande teste do Real sem o Cristiano Ronaldo viria na última quarta-feira. O jogo era contra o Sevilla e o esquema tático foi mantido. Desta vez, Khedira era o companheiro de Kroos no meio de campo, reeditando a dupla campeã do mundo pela Alemanha. E James Rodríguez mostrou novamente que poderia ser o protagonista na ausência do artilheiro do Espanhol. O colombiano abriu o placar para os Merengues e Jesé, vindo do banco, fez o segundo, garantindo a vitória por 2 a 1. Mas o meia viria se machucar minutos depois de fazer o seu gol.


Com Khedira como volante e melhor saída de bola contra o Sevilla

- O equilíbrio não depende apenas de um jogador, mas da equipe e da sua inteligência em campo. O regresso de Ronaldo é bom. Vai nos ajudar, mas também ganhamos dois jogos sem ele - disse Ancelotti, após o jogo contra o Sevilla.

No sábado, no dérbi contra o Atlético de Madrid, o Real terá a volta do seu matador lusitano. O retorno do camisa 7 será um alento para o técnico Carlo Ancelotti. Mas o comandante não vai precisar mudar o esquema tático. Khedira - ou talvez Illarra - seguirá como volante. A ausência é do meia James Rodríguez, que fraturou um osso do pé e ficará dois meses fora de ação. Desta forma, Bale volta a sua posição de origem, com Cristiano Ronaldo fazendo companhia a Benzema no comando do ataque.

Sergio Ramos e Pepe, lesionados, serão substituídos por Varane e Nacho. Com Marcelo suspenso, Coentrão é o mais cotado para o lugar do brasileiro.

- Os últimos jogos contra o Atlético não foram muito bons, mas o importante é inverter essa situação. Será um jogo complicado e queremos fazer algo diferente - completou o treinador italiano.


Provável time do Real contra o Atlético: muitos desfalques por lesão e volta de CR7