icons.title signature.placeholder Igor Siqueira
26/06/2014
13:24

Ronaldo voltou a alfinetar os políticos brasileiros por causa da parcela da organização da Copa do Mundo que ficou sob responsabilidade dos governos. Na visão do Fenômeno, que já chegou a dizer que estava envergonhado pelos atrasos, o Mundial seria melhor caso diversos projetos tivessem saído do papel.

- Não é a Fifa que vai chegar e mudar o país. Minha crítica foi sobre as obras que foram prometidas e não foram entregues. Parece que o brasileiro está acostumado a promessas não cumpridas e mesmo com isso vemos a alegria do povo com a Copa. Poderia ser melhor se tivesse tudo o que foi prometido à população. Não estava criticando a organização da Copa. Critiquei que poderia ser muito melhor se todas as obras de mobilidade urbana fossem completadas - disse o Fenômeno, referindo-se também à entrevista anterior.

Membro do conselho de administração do Comitê Organizador Local, Ronaldo comemorou o fato de as ameaças de tensão durante a Copa não terem se confirmado.

- Acho que a população mais uma vez nos surpreendeu positivamente, porque vivíamos um clima muito tenso antes da Copa começar, com ameaça de manifestações. Mas começou a Copa e estamos vivendo um sonho, um clima tão amistoso e único. Estamos vivendo isso dentro do nosso país - completou o Fenômeno, que prevê o crescimento de apoio à Seleção Brasileira:

- O envolvimento vai crescer à medida que ela jogue melhor e passe as fases. Se for campeã, nem sei como vai ser. Mas estou muito feliz em ver a Copa como ela está, dentro e fora de campo. Ela está surpreendendo o mundo inteiro com a qualidade que está, uma média de gols altíssima, surpresas, zebras e muita gente nos jogos. O balanço até agora é muito positivo.