icons.title signature.placeholder Lucas Faraldo Knopf
19/04/2014
07:30

A edição de 2014 do Campeonato Brasileiro terá seu pontapé inicial na noite deste sábado. Ao todo, serão 20 clubes lutando pela taça de campeão, por vaga na Libertadores e na Copa Sul-Americana e contra a zona de rebaixamento. E para provar que muita coisa pode mudar no intervalo de 365 dias, o LANCE!Net preparou uma comparação entre as situações das equipes no início do Brasileirão da última temporada e o modo como chegam para a disputa deste ano. Confira!

Atlético-MG

Em 2013: o Galo ostentava a invencibilidade de quase dois anos como mandante (a última derrota havia sido no Brasileirão de 2011, em agosto, contra o Cruzeiro). A equipe também vinha do título mineiro conquistado diante do arquirrival. Sob comando de Cuca, o clube iniciava o Campeonato Brasileiro utilizando equipes mistas e reservas, focado na Libertadores, que viria a ser conquistada meses depois.

Atualmente: o Atlético-MG, comandado por Paulo Autuori, começa o Brasileirão mais uma vez focado na Libertadores. Sem a "autoridade" que tinha como mandante, o clube vem de um vice-campeonato estadual. O ataque é o mesmo do fim do ano passado: Jô, Tardelli e Fernandinho direcionados por Ronaldinho Gaúcho.

Atlético-PR

Em 2013: o Furacão disputou o Brasileirão atuando como mandante na Vila Capanema, estádio do rival Paraná. O experiente meia Paulo Baier era o grande nome daquele elenco, comandando pelo técnico Ricardo Drubscky. Clube dividia a foco do campeonato de pontos corridos com o mata-mata da Copa do Brasil.

Atualmente: o Atlético-PR estreará a reformada Arena da Baixada neste Brasileirão. O novo destaque do plantel rubro-negro era o atacante Adriano. O Imperador, no entanto, deixou o clube após quatro partidas com a camisa rubro-negra. Com o treinador espanhol Miguel Ángel à frente, o time vem de uma eliminação ainda na primeira fase da Libertadores.

Bahia

Em 2013: o Tricolor vinha de um desempenho desastroso no Campeonato Baiano daquela temporada. Vice-campeão, o time acumulou três derrotas (sendo duas por goleadas de 5 a 1 e 7 a 3) e um empate em confrontos contra o arquirrival Vitória. O clube também havia sido eliminado da Copa do Brasil ainda na segunda fase do torneio, diante do Luverdense-MT. O treinador era Cristovão Borges.

Atualmente: o Bahia do técnico Marquinhos Santos é o atual campeão baiano, após bater o Vitória na final estadual. O time, no entanto, entra no Brasileirão com foco dividido, já que tropeçou no jogo de ida da primeira fase da Copa do Brasil, empatando contra o Villa Nova-MG. O atacante Maxi Biancucchi, o primo do Messi, é o destaque. Ele trocou o Rubro-Negro de Salvador, equipe pela qual jogava no ano passado, pelo Tricolor.

Botafogo

Em 2013: o Alvinegro carioca, sob comando de Oswaldo de Oliveira, chegava ao Brasileirão com perfil de favorito, graças à conquista do campeonato estadual e às grandes atuações do holandês Seedorf. O time estava embalado com a boa campanha que vinha desempenhando na Copa do Brasil.

Atualmente: se não está em crise, o Botafogo está beirando tal situação. Sem a estrela de Seedorf, o time foi eliminado do Campeonato Carioca ainda na primeira fase da competição. Na Libertadores, novo fiasco: queda na fase de grupos. As esperanças para o Brasileirão são Emerson Sheik e Vagner Mancini, recém-contratados.

Chapecoense

Em 2013: o Verdão de Chapecó estava focado na disputa da Série B do Brasileirão. Após perder a final do Estadual para o arquirrival Criciúma, o clube apostava suas fichas no técnico Gilmar Dal Pozzo e no goleador Bruno Rangel.

Atualmente: após grande campanha na Série B do ano passado, protagonizando a disputa do título contra o Palmeiras, a Chapecoense sequer chegou às finais do Campeonato Catarinense. O clube, no entanto, garantiu vaga na segunda fase da Copa do Brasil. Bruno Rangel foi vendido para o futebol do Catar e o treinador Gilmar Dal Pozzo segue no comando do time.

Corinthians

Em 2013: o Timão entrava no Brasileirão como um dos grandes favoritos. Era o atual campeão do Paulistão, da Libertadores e do Mundial de Clubes. Comandado por Tite, empurrado por Paulinho e Sheik e entusiasmado por Pato, a equipe vinha de uma eliminação da Libertadores, mas ainda assim contava com o apoio da torcida.

Atualmente: após fracassar no Brasileirão do ano passado, o Corinthians inicia a atual edição sob desconfiados olhares de seus torcedores. Depois de cair na primeira fase do Paulistão, o time ao menos conseguiu garantir vaga na próxima fase da Copa do Brasil. Mano Menezes é o treinador, Paulinho "deu lugar" a Elias e a dupla Pato e Sheik foi negociada com São Paulo e Botafogo respectivamente. O clube irá utilizar a Arena Corinthians em seus jogos como mandante.

Coritiba

Em 2013: o Coxa vinha da conquista do título paranaense para cima de seu arquirrival, o Atlético-PR. Na Copa do Brasil, no entanto, o time havia sido eliminado pelo Nacional-AM. Dentro de campo, Alex era a principal referência. Fora das quatro linhas, a equipe era comandada pelo técnico Marquinhos Santos.

Atualmente: O Coritiba vive situação aposta à do ano passado. Após sequer chegar à final do Estadual, o time ao menos conseguiu avançar na Copa do Brasil. Alex segue como referência na equipe. O treinador é Celso Roth. Fora de campo, os jogadores vêm de protesto contra a atual gestão, que não havia pagado os direitos de imagens do elenco.

Criciúma

Em 2013: o Tigre vinha embalado graças à conquista de seu décimo título catarinense. Na Copa do Brasil, a equipe comandada por Vadão havia assegurado vaga para a terceira fase do torneio.

Atualmente: o Criciúma de Caio Júnior não conseguiu repetir a mesma atuação do ano passado no Estadual. Na Copa do Brasil, pior ainda: o time já está eliminado, após cair na primeira fase diante do Londrina. A grande novidade é o experiente Paulo Baier, que veio do Atlético-PR para o Tigre de Santa Catarina.

Cruzeiro

Em 2013: a Raposa entrava no Brasileirão um tanto quanto desacreditada, principalmente devido à derrota para o Atlético-MG na final do Campeonato Mineiro. A boa atuação que o time vinha tendo na Copa do Brasil era a esperança do torcedor. Diego Souza era um dos principais nomes. Marcelo Oliveira era o treinador.

Atualmente: atual campeão nacional, o Cruzeiro entra como um dos favoritos ao título. Após levantar a taça do Campeonato Mineiro no último fim de semana, a equipe celeste divide suas atenções entre o Brasileirão e a fase de mata-mata da Libertadores. Com Marcelo Oliveira ainda como técnico, Éverton Ribeiro é o destaque do clube, muito em função dos gols marcados no campeonato nacional do ano passado.

Figueirense

Em 2013: o time catarinense, apesar da desanimadora campanha no Estadual daquele ano, vinha de desempenho digno na Copa do Brasil, garantindo classificação nas oitavas de finais. Sob comando de Adílson Batista, o Alvinegro era um dos favoritos na disputa da Série B do Brasileirão.

Atualmente: atual campeão catarinense e classificado à próxima fase da Copa do Brasil, o Figueirense chega à elite nacional embalado pelo atacante Ricardo Bueno, que balançou as redes nove vezes na Série B do ano anterior, e pelo experiente meia Marcos Assunção. Vinícius Eutrópio é o treinador.

Flamengo

Em 2013: após fracassar no Campeonato Carioca, o Mengão chegava ao Brasileirão vendo sua torcida com pé atrás. Na Copa do Brasil, o time até ia bem, avançando nas fases iniciais. O volante Elias era o grande xodó da equipe, bem como o técnico Jorginho.

Atualmente: campeão carioca no último fim de semana, o Flamengo volta a iniciar um Brasileirão sob olhares desconfiados, principalmente devido à eliminação precoce na fase de grupos da Libertadores. Elias, que ainda era sonho da diretoria para esta temporada, assinou recentemente com o Corinthians. O técnico é  Jayme de Almeida e a esperança de gols é o atacante Hernane Brocador.

Fluminense

Em 2013: o Tricolor do técnico Abel Braga entrava no Brasileirão com expectativa de brigar pelo título, já que ostentava o fato de ser o atual campeão nacional. Vinha, entretanto, de campanha insatisfatória no Estadual. Na Libertadores, tinha empatado no jogo de ida das oitavas contra o Olímpia. Três dias após a estreia no Campeonato Brasileiro, foi eliminado da competição sul-americana. Fred era a grande esperança no torneio de pontos corridos. 

Atualmente: o Fluminense chega ao Brasileirão após herdar a vaga da Portuguesa, que foi rebaixada em seu lugar à Série B. Novamente sem chegar às finais do Campeonato Carioca, o time ao menos segue vivo na Copa do Brasil, após passar pelo Horizonte-CE, pelo placar agregado de 6 a 3. O treinador é Cristovão Borges e Fred, agora ao lado de Conca, segue como principal jogador da equipe.

Goiás

Em 2013: chegava para o Brasileirão carregando a faixa de campeão estadual. Na Copa do Brasil vinha de boa campanha. Entrava na competição de pontos corridos com o técnico Enderson Moreira e o ídolo Harlei, goleiro que vestiu a camisa do Goiás mais de 800 vezes. A esperança de gols era o atacante Walter.

Atualmente: após surpreender positivamente nas campanhas do Brasilerão e da Copa do Brasil do ano passado o Goiás não vem tendo um bom 2014. O time perdeu a final estadual para o arquirrival Atlético-GO e trocou de treinador (saiu Claudinei Oliveira para a entrada de Ricardo Drubscky). Na última quarta-feira, foi eliminado ainda na primeira fase da Copa do Brasil. O goleador Walter foi vendido para o Fluminense e o jovem Renan herda a vaga do hoje reserva Harlei.

Grêmio

Em 2013: chegava no Brasileirão pressionado pela torcida, que mostra-se insatisfeita com o desempenho do time no primeiro semestre. Eliminado da Libertadores nas oitavas de finais e sequer finalista do Gauchão, o técnico Vanderlei Luxemburgo conseguiu permanecer no cargo para início do campeonato de pontos corridos. O atacante Barcos era a grande esperança de gols.

Atualmente: o time até vinha de uma boa campanha no Estadual, mas levou uma goleada do arquirrival logo na final do Gauchão. Assim, nem mesmo a classificação à fase de mata-mata da Libertadores faz o clima no Grêmio ser coniderado "positivo". A equipe comandada por Enderson Moreira, de todo modo, entra com perspectiva de brigar na parte de cima da tabela. Barcos ainda não é uma unanimidade entre os torcedores tricolores.

Internacional

Em 2013: campeão estadual, o Colorado entrava no Brasileirão como um dos favoritos ao título. Sem disputar a Libertadores, o clube dividia o foco apenas com a Copa do Brasil, torneio no qual estava cumprindo com suas "obrigações" nas fases iniciais. O time ainda era comandado por Dunga.

Atualmente: após ótimo desempenho no estadual, garantindo mais um título gaúcho, o Inter volta a chegar ao Brasileirão com moral de quem brigará por título, apesar da má campanha no ano passado. O time de Abel Braga goleou o Remo no jogo de ida da primeira fase da Copa do Brasil e já se classificou para a próxima etapa do torneio.

Palmeiras

Em 2013: sob o comando de Gilson Kleina, o time vinha com um projeto de reformulação para a disputa da Série B do Brasileirão. Nas demais competições que disputou no primeiro semestre, havia caído ainda nas quartas de finais do Paulistão e nas oitavas da Libertadores. Com muitas caras novas no elenco, Valdívia era a grande esperança do torcedor.

Atualmente: chega para o Campeonato Brasileiro após "deitar e rolar" na Série B do ano passado. No Paulistão, acabou eliminado mais uma vez precocemente, desta vez diante do Ituano, nas semifinais. Na Copa do Brasil, assegurou vaga para a segunda fase. Ainda sob comando de Gilson Kleina, a equipe hoje conta com Alan Kardec como principal nome ao lado de Valdívia. O Verdão estreará a Allianz Parque neste Brasileirão.

Santos

Em 2013: o Peixe entrava no Brasileirão "mordido" devido ao vice-campeonato estadual, amargurado diante do arquirrival Corinthians, em plena Vila Belmiro. Na Copa do Brasil, apesar de não encantar, avançava sem maiores dificuldades. Dentro de campo, o time ainda comandado por Muricy Ramalho estava se despedindo do craque Neymar, já negociado com o Barcelona.

Atualmente: novamente, o Santos precisa mostrar serviço no Brasileirão para compensar outro vice-campeonato estadual (desta vez diante do Ituano, em um Pacaembu lotado de santistas). Na Copa do Brasil, o time está garantido na segunda fase. Os comandados de Oswaldo de Oliveira mantêm o perfil ofensivo dos últimos anos, com Leandro Damião como grande esperança.

São Paulo

Em 2013: o Tricolor, apesar de não fazer um bom Campeonato Paulista, ainda ostentava o título da Copa Sul-Americana conquistado no fim do ano passado. Sem disputar a Copa do Brasil, o time de Ney Franco chegava como incógnita ao Brasileirão, precisando provar que superou, de uma vez por todas, a venda do craque Lucas ao PSG.

Atualmente: após um trágico desempenho no Brasileirão do ano passado e uma inesperada eliminação nas quartas de finais do Paulistão, o São Paulo de Muricy Ramalho promete vingar neste Campeonato Brasileiro. Na Copa do Brasil, a equipe deixou a primeira fase para trás sem grandes problemas. Alexandre Pato é a principal novidade no elenco são-paulino. Rogério Ceni disputará seu último semestre como atleta, já que se aposenta no fim do ano. Fora de campo, o clube "ferve" com a eleição de Aidar como sucessor de Juvenal Juvêncio na presidência do clube.

Sport

Em 2013: o Leão da Ilha chegava à Série B do Brasileirão desacreditado por boa parte da torcida. Após perder a final do Campeonato Pernambucano para o arquirrival Santa Cruz, o time foi eliminado na segunda fase da Copa do Brasil, diante do ABC, em plena Ilha do Retiro. A equipe era comandada por Gustavo Bueno.

Atualmente: embaladíssimo com a conquista da Copa do Nordeste, o Sport também é finalista do Campeonato Pernambucano (o time abriu vantagem no jogo de ida, contra o Náutico). Sob comando do técnico Eduardo Baptista, a equipe ocupa o posto do Náutico no último Brasileirão, como representando de Pernambuco na competição.

Vitória

Em 2013: o Leão da Barra havia sido campeão baiano incotestável após uma série de vitórias para cima do arquirrival Bahia. Na Copa do Brasil, no entanto, o time vinha de uma eliminação precoce na segunda fase da competição. A equipe de Salvador dava pontapé inicial no Brasileirão sob comando do técnico Caio Júnior.

Atualmente: o Vitória até tinha vantagem na final do Campeonato Baiano, mas mesmo assim acabou vice-campeão diante do Bahia. Na Copa do Brasil, o time tropeçou no jogo de ida da primeira fase, empatando contra o JMalucelli. Portanto, entra no Brasileirão com a cabeça dividida com o torneio de mata-mata. O treinador é Ney Franco.