icons.title signature.placeholder Alexandre Araújo
06/06/2014
07:50

Mais um passo da investigação do “mensalão” vascaíno foi dado na última quinta-feira. A comissão de sindicância, que apurou as denúncias internamente, terminou a análise dos dados e entregou o relatório final ao presidente Roberto Dinamite. A partir deste parecer, cabe ao mandatário tomar decisõesComo a apuração da comissão de sindicância demorou mais do que o imaginado, o documento será entregue apenas hoje ao delegado Maurício Luciano, da 17 Delegacia de Polícia São Cristóvão), que investiga o caso.

O relatório recebeu sete das 10 assinaturas possíveis da comissão  e aponta todos os problemas nos cadastros dos “sócios de abril” no período de apuração, sendo que o visto destes membros aconteceu na noite da última quarta-feira.

Segundo o LANCE!Net apurou, das 3.062 fichas analisadas pela comissão, apenas 331 responderam à solicitação de chamada feita pela secretaria do clube. Algumas fichas, por exemplo, não continham o sócio proponente, algo exigido no estatuto do Cruz-Maltino.

O delegado Maurício Luciano considera a entrega do relatório de extrema importância para o trabalho de investigação.

– A entrega deste documento é fundamental. Esta comissão foi formada internamente há mais tempo que a nossa investigação. Então, tem mais elementos para completarmos o nosso trabalho – disse o delegado.

A conclusão do relatório aconteceu uma semana após o prazo estipulado inicialmente, que era 29 de maio. Porém, devido a alguns problemas, como a subtração de algumas fichas de sócios da sala da vice-presidência, o término do trabalho foi adiado.

Mesmo com as ameaças feitas por pessoas ligadas a um grupo político a favor do “mensalão” a alguns membros da comissão, o relatório foi entregue sem problemas.

Sócios serão ouvidos e fichas periciadas

O delegado Maurício Luciano está esperando apenas o relatório cair em suas mãos – o que foi prometido pela diretoria do clube para hoje – para intimar os sócios envolvidos no “mensalão” a comparecerem à 17 Delegacia de Polícia (São Cristóvão).

A polícia quer ainda entregar as fichas a um perito para que seja feita uma análise da grafia dos papéis. Vale ressaltar que, recentemente, algumas fichas foram subtraídas da sala da vice-presidência. Após serem recuperadas, o local foi lacrado para evitar o acesso de pessoas não autorizadas.

Em conversa com o LANCE!Net, o delegado Maurício Luciano afirmou que a data da eleição, marcada para 6 de agosto, não modificará o trabalho da polícia. Maurício Luciano garante que terá tempo hábil de terminar o inquérito e entregá-lo antes deste dia. A partir daí, ficaria a cargo da diretoria vascaína manter o pleito nesta data ou não.