icons.title signature.placeholder Guilherme Abrahão e Matheus Babo
20/03/2014
07:18

Se altos salários forem pré-requisito para garantir vitórias no futebol, o Fluminense vencerá o Horizonte hoje com sobras. Isso porque o time tricolor, que estreia na Copa do Brasil contra o rival do interior do Ceará, tem uma folha salarial cerca de 60 vezes maior que a do rival desta noite. A partida, que começa às 21h50 , no Domingão, terá transmissão em tempo real do LANCE!Net.

Sobre os talentos tricolores, não se discute. E os salários são uma realidade muito distante daquela dos atletas do Horizonte. Com a chegada do argentino Conca e a manutenção de medalhões como Fred e Carlinhos, a folha salarial do Fluminense atualmente está em torno de R$ 6 milhões mensais. Enquanto isso, o Horizonte gasta R$ 100 mil por mês com todo o elenco. Como efeito de comparação, a dupla Conca/Fred, junta, recebe cerca de R$ 2 milhões. Ou seja, só eles pagariam vinte times dos cearenses por mês.

E MAIS
> Renato veta Carlinhos e pode colocar Walter como titular nesta quinta
> Com dores na coxa, Michael está vetado da estreia na Copa do Brasil
> Pedro Antônio é homologado vice-presidente de projetos especiais

Mesmo assim, a diferença em gastos não é fator de preocupação para o rival. Ao LANCE!Net, o presidente do Horizonte, Paulo Wágner, garantiu que dentro das quatro linhas tudo pode acontecer.

– A diferença é muito grande. Nossa folha salarial é de R$ 100 mil por mês. Mas nessa hora nós não podemos lembrar disso. Temos que partir para a guerra. Se for pensar em números, já vamos entrar derrotados. O nosso grupo está consciente do que deve ser feito. Vamos ter cautela, respeitar o Fluminense, que é um time grande, mas vamos tentar surpreender – afirmou.


Salários de Fred e Conca pagam 20 times do Horizonte (Foto: Bruno de Lima/ LANCE!Press)

O mandatário ainda ressaltou como é distribuído os salários no clube. Quem recebe mais fatura em torno de R$ 4 mil mensais. Vencimentos estes que são pagos para alguns destaques da base do Fluminense.

– Os maiores salários da nossa equipe giram em torno de R$ 4 mil. Alguns outros jogadores ganham R$ 2 mil, R$ 1 mil, R$ 800... – contou.

Focado, o presidente sabe que o Horizonte precisa ter cuidado com as principais peças do elenco tricolor. E os mais 'ricos' são também os mais visados pela comissão técnica, como afirma Paulo Wágner.

– Vamos ter que marcar todo mundo, não só o Fred. Se nos preocuparmos só com ele, vamos tomar uma goleada. Além dele, tem o Conca.

Com salário maior ou não, a missão do Fluminense hoje é vencer e se possível eliminando o jogo da volta. Mas no clube todos tratam o jogo como um duelo equilibrado.

– Muita gente acha fácil tirar a vantagem de dois gols, mas não será fácil. Tenho visto grandes terem trabalho – disse Renato Gaúcho.

BATE BOLA
Paulo Wágner, presidente do Horizonte


1 - É especial para vocês receber o Fluminense em Horizonte?
Receber o Fluminense representa muita coisa para nós. É um time grande, uma das maiores equipes do Brasil. Foi campeão do Brasileirão recentemente. É algo muito importante para o município, para nossa equipe, para os jogadores, que têm a oportunidade de aparecer para todo o Brasil. É muito legal um jogo desses.

2 - E ter a presença do Fred, atacante da Seleção, na cidade?
Fred é um jogador excepcional, mostrou isso na Copa das Confederações. É um dos melhores atacantes que tem no Brasil. Temos que ter cuidado com ele. É uma felicidade poder enfrentá-lo aqui.

3 - Quais são os destaques do time do Horizonte?
Hoje, o destaque é o Diego Palhinha, meia. Nós também trouxemos um bom atacante, artilheiro, chamado André, mas ele está fora do jogo. Temos o Leandro, um volante, muito bom jogador, mas que também não joga. Nossa equipe é jovem, mas é muito guerreira.

4 -Qual a meta?
Vamos tentar garantir o jogo no Rio de Janeiro.