icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
13/11/2013
20:37

O duelo desta quinta-feira, contra o Atlético-MG, marcará o momento em que Clemer irá relacionar o décimo jovem das categorias de base para o profissional, quando assumiu o comando, há um mês e uma semana. A probabilidade é que Cláudio Winck seja o titular na lateral direita, com Diogo sendo opção no banco de reservas. Os mais experientes tentam dar o suporte necessário para a garotada jogar solta.

Desde de seu primeiro treinamento, Clemer tratou de utilizar jovens. O meia Valdívia, o atacante Nathan e o zagueiro Thales treinaram. Na sequência, trouxe João Afonso dos juniores e hoje o volante é titular absoluto do meio-campo. Os meias Fernando Baiano e Alex Santana, os volantes Jair e Nathan Índio e o lateral Artur também passaram a ser presença constantes no dia a dia. Diogo foi o último a ser promovido e deve ser relacionado para a viagem para Belo Horizonte.

Fora a aposta em outros jovens como Jackson e Alan, que já estavam no grupo e hoje formam a defesa titular colorada. Os mais experientes, como D'Alessandro, Alex, Kleber, Juan e Forlán são referências e procuram conversar com os garotos.

- Tentamos conversar, ajudar. Como falei, não é o momento bom. Futebol não tem tempo, eles precisam estar prontos, conscientes de que precisam estar preparados para assumir. Tentamos falar com ele, mas o principal é a confiança do treinador. Eles têm isso, sabem. E só tem que fazer o que sabem, que o momento não é o ideal, para esses atletas entraram no grupo com maior tranquilidade, mas que demonstrar nesse momento do clube, dá mais crédito para eles - destacou o meia D'Alessandro, capitão da equipe.

Em campo, Clemer usou cinco dos nove jogadores relacionados: entraram Valdívia, Alex Santana, Nathan Índio, João Afonso e Nathan. Clemer tem facilidade de tratar com os garotos, pelo tempo de trabalho nas categorias de base colorada. Otávio, titular hoje, foi seu jogador no sub-17, por exemplo.

- Eles vão trabalhar mais tranquilos no ano que vem, com começo do ano, com pré-temporada. Não é fácil para um atleta que vem da base entrar em um momento assim, em uma equpe como o Inter, grande e que precisa de resultado. Entrar e dar conta do recado. Não é fácil para eles. Tem muitos atletas que vieram da base que estão treinando bem, ajudando muito, trabalhando com a gente. E a gente tem que dar um suporte para ele, os mais velhos. Tentamos fazer isso, porque a maior responsabiliadde é nossa, não é deles. Mas infelizmente futebol não tem tempo. Se o clube precisa deles, eles precisam estar prontos. Temos que valorizar o trabalho deles. Vão ter mais chances nesses ultimos cinco jogos - completou o argentino.