icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
10/03/2014
10:57

Depois de uma pré-temporada especial, o meia Renato Augusto ainda encontra dificuldades para deslanchar no Corinthians em 2014. No último domingo, ele substituiu Jadson e foi titular no clássico contra o São Paulo, no Pacaembu, mas não teve boa atuação. O jogador saiu no intervalo para a entrada de Guerrero, e Mano Menezes preferiu poupá-lo de críticas após o duelo.

- É muito ruim para um jogador como o Renato jogar sem volume. Esse jogadores sofrem mais, eles precisam da bola para jogarem bem. Como a gente jogou o primeiro tempo sem a bola, a gente sofreu mais. Seria injusto atribuir para ele (Renato Augusto) nossa dificuldade. Nos últimos jogos, Romarinho e Luciano ficaram com a bola, hoje (domingo) sofremos um pouco e a equipe não conseguia chegar. Ele agora começou a chegar no ponto competitivo, saiu da fisioterapia, trabalha com o grupo com normalidade, ele vai estar em breve no nível ideal. Depende muito da composição física dele, é grande, tem que ter força. Quando ainda não está no estágio ideal, sofre mais - analisou o treinador corintiano, após a derrota por 3 a 2 para o rival.

Até agora, em 2014, Renato Augusto jogou apenas 79 minutos - o que dá menos de uma partida completa. Sua estreia foi diante do Palmeiras, quando ele entrou aos 30 minutos do segundo tempo. A equipe vencia por 1 a 0, mas cedeu o empate no fim. Com uma má atuação, ele foi sacado dos três duelos seguintes, contra Oeste, Rio Claro e Comercial, para aprimorar a parte física.

Depois, o meia foi acionado aos 26 minutos do segundo tempo da vitória por 4 a 0 sobre o Linense, em Lins, na quarta-feira passada. Ele entrou mais solto e chegou a criar uma boa chance.

No clássico, Renato Augusto atuou os primeiros 45 minutos, quando o Corinthians teve praticamente apenas 30% da posse de bola, contra 70% do rival. O jogador pouco conseguiu criar jogadas ofensivas e foi sacado para a entrada de Guerrero, já que Mano Menezes pretendia prender a bola mais na frente e não quis abrir mão de Romarinho ou Luciano.