icons.title signature.placeholder Valdomiro Neto
18/06/2014
23:16

No segundo tempo, com Memphis em campo, Holanda teve três atacantes (FOTO: AFP)

A Holanda tem o melhor ataque deste início de Copa do Mundo e isso, obviamente, deixa o técnico Louis Van Gaal satisfeito. Porém, o treinador tem demonstrado uma certa dúvida se deve mudar o esquema tático da equipe ou não. O 5-3-2 que iniciou as partidas contra Espanha (5 a 1) e Austrália (3 a 2) não parece ser ainda uma convicção. Tanto que no treino de véspera da segunda partida ele testou um modelo com três jogadores na frente e entrou assim no segundo tempo ante os australianos, no que ele chama de estilo que faz parte dos "princípios históricos da escola holandesa". Na entrevista coletiva no Beira-Rio, o comandante da seleção europeia abordou essa questão. 

- No primeiro tempo a Austrália dominou o jogo. Eu queria mudar isso e expliquei para ele que iríamos no 4-3-3. Todo holandês cresce vendo isso, nós podemos sempre passar para esse sistema. Criamos maior quantidade de oportunidades com essa mudança. 

O atacante Memphis Depay entrou nos segundos finais do primeiro tempo no lugar do zagueiro Bruno Indi, que se machucou, e foi justamente o autor do gol da vitória. Na atividade de véspera de jogo, Van Gaal tinha testado Lens ao lado de Robben e Van Persie, o que mostra que o treinador não tem uma real preferência entre quem pode ser esse terceiro homem de frente. 

Contra o Chile, partida que decidirá na Arena Corinthians, segunda-feira, o primeiro colocado do Grupo B, dificilmente Van Gaal iniciará com três atacantes. Van Persie levou o segundo amarelo e não atuará. Mas o debate certamente seguirá visitando a cabeça da direção laranja. Durante as entrevistas no Beira-Rio, tanto a de véspera quanto a pós-jogo, os jornalistas holandeses bateram muito na tecla do esquema e chegaram a questionar o técnico sobre um suposto desejo dos atletas mais experientes, como Sneijder e Robben, pelo sistema com o tridente avançado. Em todas as respostas, o treinador disse que nenhum jogador levou a questão a ele e que está aberto ao debate com os atletas

OS ERROS DE PASSE

O que mais incomodou Van Gaal na partida contra a Austrália, e também esteve entre as preocupações de Robben, foi a posse de bola. A Holanda teve uma vantagem ínfima no quesito segundo as estatísticas da Fifa: 52% a 48%. Os erros de passe chamaram a atenção. Em inúmeras jogadas, viradas de jogo para o lateral Blind fracassaram e troca de bola simples redundaram em falhas, que permitiram contra-ataques do rival. 

- No intervalo eu disse aos jogadores que precisávamos jogar de forma mais redonda, com mais confiança. Felizmente deu certo. No segundo tempo, criamos mais oportunidades. Se você erra muitos passes e perde a posse de bola nenhum sistema de jogo pode consertar. Fomos bem sucedidos na mudança, mas poderia ter outro resultado. Fizemos um jogo mais exigente na segunda etapa. 

FOTO: AFP

Um jornalista, então, insistiu na percepção de que a mudança para o esquema com três atacantes é que teria permitido ao time ter mais o controle da bola. Van Gaal reagiu de forma ácida, como é uma constante em situações assim.