icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
20/04/2014
16:52

O ginasta Arthur Zanetti segue sem saber o que é derrota nas argolas. Campeão olímpico em Londres-2012 e mundial no ano passado, o brasileiro manteve a invencibilidade neste domingo ao vencer a final no III Meeting de Ginástica Artística, na Arena Santos, em Santos (SP). E a conquista de mais uma medalha de ouro veio com a maior nota na carreira: 16.000. Até então, seu melhor resultado tinha sido 15.925, em etapa da Copa do Mundo, na Bélgica, em 2012.

- Estou muito feliz com a nota e com mais um ouro nas argolas. Esses momentos são sempre um presente - afirmou o ginasta, que mantém a invencibilidade no aparelho desde 2013, quando ganhou todas as provas que disputou.

Na competição, Zanetti, que se prepara para o Mundial de Nanning, na China, em outubro, testou a série que deve apresentar na competição mais importante da temporada. Na apresentação neste domingo, o atleta já começou a incorporar algumas modificações decorrentes das mudanças no código de pontuação da Federação Internacional de Ginástica (FIG).

- Uma das mudanças é que o ginasta não pode mais sair da posição do Cristo com os braços dobrados. Essa não é problema, porque eu já saio do Cristo com os braços esticados. A outra mudança é não poder ficar mais de 2 segundos na posição de Vela (quando o ginasta fica apoiado nos braços, com a cabeça para baixo e as pernas esticadas para cima). Na Vela, dá para descansar um pouco, recuperar o fôlego. Agora, a série vai ficar mais dinâmica, mas também vai exigir mais resistência do atleta - explicou Zanetti, frisando que a série vai ficar muito boa até o Mundial.

Completaram o pódio nas argolas o francês Arnaud Willig (14.450) e o colombiano Carlos Calvo (14.300).

Outras provas

O Brasil terminou o meeting com 18 pódios. Além de Zanetti, tiveram bons resultados Diego Hypolito (ouro no salto e prata no solo), Sérgio Sasaki (ouro na barra fixa e bronze no cavalo com alças), Jade Barbosa (ouro no salto e nas barras assimétricas e prata na trave), Daniele Hypolito (ouro na trave e no solo) e Letícia Costa (prata no salto e no solo).

Além do Brasil, competiram em Santos atletas da Colômbia, França e Grã-Bretanha, pelo masculino, e da Argentina e Colômbia, pelo feminino.