icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci e Gabriel Carneiro
07/11/2014
07:02

O Santos tenta juntar seus cacos após a eliminação na Copa do Brasil. Com o entendimento de que o ano praticamente acabou e agora só resta acabar 2014 com dignidade, a diretoria alvinegra já pensa na próxima temporada. Porém, a eleição presidencial, que acontece em 6 de dezembro, engessa as decisões da cúpula do clube e atrapalha o planejamento.

Na quinta-feira, o Comitê de Gestão do clube se reuniu e já tratou dos rumos do Peixe para 2015. O superintendente de esportes, André Zanotta, apresentou aos cartolas um relatório do elenco, com posições carentes de reforços, perfis de atletas que são desejados e detalhes de pré-temporada, entre outras informações. O projeto para o ano que vem foi desenvolvido por Zanotta em parceria com Zinho, gerente de futebol, Sandro Orlandelli, observador técnico, e o técnico Enderson Moreira e sua comissão.

Reforçar a defesa e o meio estão entre as prioridades, bem como renovar parte do atual elenco. Porém, nada será feito pelo atual presidente, Odílio Rodrigues. O estatuto santista não permite vendas ou compras de atletas no período pré-eleitoral sem a aprovação do Conselho Deliberativo. A ideia da diretoria alvinegra é deixar tudo encaminhado para quem for eleito. Jogadores que estão em fim de contrato, como Bruno Uvini, Rildo e Renato, serão ouvidos, haverá uma negociação inicial, mas nada será decidido por enquanto.

Apesar de ter contrato até dezembro de 2015, o técnico Enderson Moreira diz não saber se continuará no cargo, mas já projeta o ano que vem.

– Vamos fazer com que o Santos tenha um time competitivo para a sequência. Temos um belo caminho pela frente e capacidade para fazer o time mais forte. Acho que temos algumas peças, posições que têm que buscar alternativas. Independentemente de ficar, é com isso que quero contribuir. Assim como pude contribuir no Goiás e Grêmio. Espero fazer isso para que possamos fazer do Santos o time que merece ter – disse.

Por enquanto, o objetivo é se reerguer. O ano "acabou", mas ainda há dois clássicos pela frente, contra Corinthians e São Paulo. A meta agora é não aumentar o sofrimento.

FIM DE CICLO?

Emprestados
Rildo e Bruno Uvini foram emprestados por Ponte Preta e Napoli, respectivamente, apenas até dezembro deste ano. O primeiro tem multa definida em contrato e é o caso mais complexo. Situações serão definidas pelo novo presidente.

Garotos
Vladimir, Nailson, Vinicius Simon, Giva, Jorge Eduardo e Geovane são todos revelados na base do Peixe com contrato vencendo no fim do ano. Simon, Giva e Geovane são os únicos que devem deixar o clube. Todos os outros devem permanecer.

Veteranos
Neto jogou três jogos seguidos com Enderson Moreira, não comprometeu, mas não será procurado para renovar. Já o volante Renato, de 35 anos, é uma incógnita. O ídolo tem contrato só até o fim do ano, mas ganha por produtividade.