icons.title signature.placeholder David Nascimento e Pedro Barboza
11/11/2014
08:02

Após a eliminação na Copa do Brasil e sem a chance de disputar a Copa Libertadores da próxima temporada, o técnico Vanderlei Luxemburgo resolveu diminuir as exigências para permanecer no Flamengo até o fim de 2015. Depois de ter solicitado R$ 700 mil para assinar o contrato – atualmente, ele recebe R$ 300 mil como pessoa jurídica –, o comandante rubro-negro agora aceita um aumento de R$ 200 mil, passando a receber a quantia de R$ 500 mil mensais.

Outro ponto que Vanderlei Luxemburgo recuou foi em relação aos pedidos por jogo. Anteriormente, o treinador exigiu premiação, 30 camisas oficiais por mês e 15 ingressos por jogo, além de carta branca para indicar os reforços e a contratação de pelo menos três jogadores de peso (veja mais na página ao lado). Agora, as exigências em premiação, camisas, carta branca e reforços de peso estão mantidas, sendo amenizada a questão dos ingressos para jogos.

A mudança de atitude de Luxemburgo para permanecer na Gávea é justificada por conta da menor previsão de receita para 2015 com a não participação do Flamengo na Libertadores. Para que as outras exigências tenham condições de serem cumpridas, o treinador entendeu que precisava abrir mão de certos pontos para assinar o contrato – como está em pessoa jurídica, existe a chance de encerrá-lo a qualquer momento sem ônus.

Vale destacar que parte da diretoria do Flamengo trabalha para que Luxemburgo permaneça com o mesmo salário. Internamente, o técnico não tem apoio total dos dirigentes, até porque não foi consenso para substituir Ney Franco, antecessor dele. Parte da cúpula (como o executivo geral, Fred Luz, e o vice de marketing, Luiz Eduardo Baptista) queria a contratação de Tite.