icons.title signature.placeholder Bruno Braz e Daniel Guimarães
icons.title signature.placeholder Bruno Braz e Daniel Guimarães
24/07/2013
13:29


O volante Guiñazú, de 34 anos, demonstrou que por trás da cara de mau há uma pessoa para lá de carismática. Com muito bom humor e arrancando risadas em diversas oportunidades dos jornalistas presentes, o argentino foi apresentado de forma oficial e vestiu a camisa 5 do Vasco ao lado do presidente do clube, Roberto Dinamite.

Entre os principais pontos, falou sobre as saídas do Internacional e do Libertad (PAR), das suas condições físicas, do desafio pelo Cruz-Maltino, engrandeceu a história do Gigante da Colina e mostrou que está ávido por trabalho:

- Tem que escutar o treinador, acatar as ordens e ir para dentro.

Esbanjando bom humor, Guinãzú chama a atenção na chegada

Confira os principais trechos:

PRIMEIRAS PALAVRAS

"Bom dia a todos. Vou praticar o português que estava começando a esquecer um pouco. Quero agradecer ao presidente, ao treinador. Cheguei a um clube muito grande. Estou muito feliz, contente e orgulhoso de vestir essa camisa. Encontrei um grupo com muita alegria. Estou numa alegria que não tem limite. Estou aqui para somar. Espero fazer de tudo para dar certo e que o resultado venha. Sempre vou estar agradecido ao Vasco por essa confiança. Estou a disposição de corpo e alma."

CARREIRA VITORIOSA

"O clube está por cima de tudo e de todos. Os títulos que o clube tem ficam na história. Eu tive a sorte de ser vitorioso, mas nunca dá para comparar com um grande clube como o Vasco. O que me deixa muito orgulhoso é um clube como o Vasco confiar em mim. Sou de poucas palavras, gosto mais de trabalhar, de ficar mais tranquilo. É devolver no campo, nos treinos, com muito trabalho e sacrifício. Estou muito honrado, eu e minha família.


Guiñazú já com a camisa do Vasco (Foto: Paulo Sérgio/LANCE!Press)

TRABALHAR COM DORIVAL JÚNIOR

"O professor eu já conhecia, sou suspeito a falar dele. Ele sabe o que penso dele. É um cara muito bacana, trabalhador. Claro que teve muito a ver essa confiança, facilita muito o caminho."

SAÍDA DO INTER E IDA PARA O LIBERTAD

"O que me fez sair do Inter é porque foram seis anos no clube. Foi uma decisão que tomei no momento certo na vida, tomei com o coração. E os seis meses no Libertad foram muito felizes."

SAUDADES DO FUTEBOL BRASILEIRO

"Vou ser sincero, sentia muita saudade. O futebol brasileiro é um dos melhores do mundo. Sempre falei isso e cada vez reafirmo mais. É um futebol muito parelho, competitivo e tem grandes jogadores. Cada jogo é uma final. Estou orgulhoso de voltar ao futebol do Brasil. Acho que já sou mais brasileiro (risos). Fui muito bem acolhido tanto no Sul quanto aqui. Só tenho que agradecer ao país. Meu filho chegou com 3 meses e é praticamente brasileiro. Estou muito feliz, contente e com vontade de trabalhar. Tenho 34, mas minha cabeça tem 20 anos. É com esse espírito que pretendo levar para frente."

TORCIDA DO VASCO

"Quando tive a sorte de jogar contra o Vasco sentia muito. A torcida tem que saber que o papel deles é fundamental, nós precisamos. Em certos momentos você precisa e, se vier junto, só tem a ganhar. Já fui contrário a eles (torcedores do Vasco) e você sente. Isso ajuda e, pode ter certeza, você acaba tirando aqueles 10, 15 % a mais."

APELIDO DE "CHOLO LOCO"

"Loco não sei o que significa (risos), mas Cholo pode falar. Sou Cholo desde que tinha um ano, foi minha tia que colocou por carinho, afeto. Louco deve ser porque uso capa de chuva para treinar quando está quente, essas coisas, aí sempre tem um para ajudar no apelido (risos). Mas não acredito que sou louco mesmo (risos).


Guiñazú já treinou pela primeira vez com a camisa do Vasco (Foto: Paulo Sérgio/LANCE!Press)


O volante Guiñazú, de 34 anos, demonstrou que por trás da cara de mau há uma pessoa para lá de carismática. Com muito bom humor e arrancando risadas em diversas oportunidades dos jornalistas presentes, o argentino foi apresentado de forma oficial e vestiu a camisa 5 do Vasco ao lado do presidente do clube, Roberto Dinamite.

Entre os principais pontos, falou sobre as saídas do Internacional e do Libertad (PAR), das suas condições físicas, do desafio pelo Cruz-Maltino, engrandeceu a história do Gigante da Colina e mostrou que está ávido por trabalho:

- Tem que escutar o treinador, acatar as ordens e ir para dentro.

Esbanjando bom humor, Guinãzú chama a atenção na chegada

Confira os principais trechos:

PRIMEIRAS PALAVRAS

"Bom dia a todos. Vou praticar o português que estava começando a esquecer um pouco. Quero agradecer ao presidente, ao treinador. Cheguei a um clube muito grande. Estou muito feliz, contente e orgulhoso de vestir essa camisa. Encontrei um grupo com muita alegria. Estou numa alegria que não tem limite. Estou aqui para somar. Espero fazer de tudo para dar certo e que o resultado venha. Sempre vou estar agradecido ao Vasco por essa confiança. Estou a disposição de corpo e alma."

CARREIRA VITORIOSA

"O clube está por cima de tudo e de todos. Os títulos que o clube tem ficam na história. Eu tive a sorte de ser vitorioso, mas nunca dá para comparar com um grande clube como o Vasco. O que me deixa muito orgulhoso é um clube como o Vasco confiar em mim. Sou de poucas palavras, gosto mais de trabalhar, de ficar mais tranquilo. É devolver no campo, nos treinos, com muito trabalho e sacrifício. Estou muito honrado, eu e minha família.


Guiñazú já com a camisa do Vasco (Foto: Paulo Sérgio/LANCE!Press)

TRABALHAR COM DORIVAL JÚNIOR

"O professor eu já conhecia, sou suspeito a falar dele. Ele sabe o que penso dele. É um cara muito bacana, trabalhador. Claro que teve muito a ver essa confiança, facilita muito o caminho."

SAÍDA DO INTER E IDA PARA O LIBERTAD

"O que me fez sair do Inter é porque foram seis anos no clube. Foi uma decisão que tomei no momento certo na vida, tomei com o coração. E os seis meses no Libertad foram muito felizes."

SAUDADES DO FUTEBOL BRASILEIRO

"Vou ser sincero, sentia muita saudade. O futebol brasileiro é um dos melhores do mundo. Sempre falei isso e cada vez reafirmo mais. É um futebol muito parelho, competitivo e tem grandes jogadores. Cada jogo é uma final. Estou orgulhoso de voltar ao futebol do Brasil. Acho que já sou mais brasileiro (risos). Fui muito bem acolhido tanto no Sul quanto aqui. Só tenho que agradecer ao país. Meu filho chegou com 3 meses e é praticamente brasileiro. Estou muito feliz, contente e com vontade de trabalhar. Tenho 34, mas minha cabeça tem 20 anos. É com esse espírito que pretendo levar para frente."

TORCIDA DO VASCO

"Quando tive a sorte de jogar contra o Vasco sentia muito. A torcida tem que saber que o papel deles é fundamental, nós precisamos. Em certos momentos você precisa e, se vier junto, só tem a ganhar. Já fui contrário a eles (torcedores do Vasco) e você sente. Isso ajuda e, pode ter certeza, você acaba tirando aqueles 10, 15 % a mais."

APELIDO DE "CHOLO LOCO"

"Loco não sei o que significa (risos), mas Cholo pode falar. Sou Cholo desde que tinha um ano, foi minha tia que colocou por carinho, afeto. Louco deve ser porque uso capa de chuva para treinar quando está quente, essas coisas, aí sempre tem um para ajudar no apelido (risos). Mas não acredito que sou louco mesmo (risos).


Guiñazú já treinou pela primeira vez com a camisa do Vasco (Foto: Paulo Sérgio/LANCE!Press)