icons.title signature.placeholder Thiago Correia
21/06/2014
13:35

Bélgica e Rússia jogam neste domingo no Maracanã em partida que pode valer a liderança do Grupo H na Copa do Mundo. Em teoria, quem vencer e ficar na ponta foge da Alemanha na próxima fase, já que a equipe é a grande favorita em sua chave. Porém, para o técnico belga Marc Wilmots, isso não faz diferença e o pensamento da seleção deve ser apenas em passar para as oitavas de final. E uma vitória já classifica os Diabos Vermelhos.

- Quando foi feito o sorteio, Bélgica e Rússia eram favoritas, ainda que isso não queira dizer nada... Rússia e Coreia do Sul só têm um ponto. O mais importante é passar, ser primeiro ou segundo, tanto faz - disse Wilmots neste sábado em entrevista coletiva no Maracanã, que falou ainda sobre Fabio Capello, técnico da seleção rival deste domingo:

- Eu venho acompanhado o Capello há anos, já esteve em vários lugares. Tem excelentes resultados. Vamos ver como nos colocar em campo. A Rússia teve um empate com a Coreia e não posso prever o que vai fazer. Não podemos cair em armadilhas. Temos muita cumplicidade com o time, falamos em alterações, podem variar. Temos possibilidade, estamos bem preparados. Não podemos escrever antes o que vai acontecer.

Wilmots também fez uma análise do passado e do presente belga. Para o técnico, que fez parte de uma boa geração nos anos 1990 e 2000, não há que se fazer um paralelo.

- Essa geração joga há três ou quatro anos e está aqui para fazer grandes partidas. Quando acompanhamos seleções grandes perdendo, saímos da euforia para a tragédia nacional. Cada partida temos que ter o objetivo da vitória. Até agora estamos nos preparando muito bem. Depois vamos ver e tirar conclusões. Essa seleção pode fazer história. O passado já foi, o futuro é o que está na cabeça - concluiu.