icons.title signature.placeholder Geovanne Esteves
29/07/2014
14:37

O Comitê Olímpico Brasileiro e a Confederação Brasileira de Vela fizeram, nesta terça-feira, a apresentação da Equipe Brasileira de Vela Olímpica para o evento-teste que vai acontecer de 2 até 9 de agosto para os Jogos Olímpicos Rio-2016. O evento foi realizado no Rio Yacht Club, em Niterói, base durante os dias do evento. Este será o primeiro de outro que virão para avaliação dos locais das provas.

O evento vai servir como forma de preparação para os atletas começarem a sentir um pouco mais do ambiente e colocaram em prática algumas estratégias adotadas para buscar melhorias para os Jogos Olímpicos.

– Pra gente, esse evento vai ser muito importante como forma de treino. De uma maneira ou outra, estamos aprendendo. Acho que seria muito bom competir com as outras atletas no local da competição antes da olimpíadas, isso pode nos dar uma referência de como estão as outras equipes – disse Martine Grael, que está entre as 10 melhores do mundo na classe 49er FX, com sua parceira Kahena Kunze.

Visando estar no top 10 de medalhas, o COB investiu bastante na Vela, por ser um dos esportes que mais da medalhas para o país, com 17, atrás apenas do Judô, com 19. De olho nisso, o comitê contratou Torben Grael para ser o treinador chefe, contratou treinadores estrangeiros e brasileiros, comprou dois barcos para cada classe, num total de 20 aquisiçoes e montou bases médicas.

– Quanto mais bem preparados estiver a equipe, melhores serão os resultados. Teremos, pelo menos, condição de conquistar bons resultados. Como todo o esporte, temos que nos pautar nisso. Tudo o que está ao nosso alcance é realizado para que tenhamos a equipe mais forte possível para os jogos – disse o treinador chefe, Torben Grael.

– Temos uma nova estrutura, mas temos que melhorar muita coisa ainda. Estamos em uma fase de transição com uma federação nova, que tem um ano e meio. A gente precisa melhorar a estrutura de bote, melhorar a capacitação dos técnicos e muitas coisas que ainda temos que fazer. Porém isso não acontece da noite para o dia. É preciso ter paciência. Mas vamos ter uma estrutara melhor ou igual a qualquer outra equipe de ponta – falou o medalhista olímpico Bruno Prada.

Além disso, a equipe vai contar com um apoio técnico todo cedido pelo COB. A equipe será formada por cinco profissionais, além de assistência de apoio e saúde contendo um médico, um nutricionista, cinco fisioterapêutas, 4 massoterapêutas e três estrategistas naúticos.

O evento, chamado de Aquece Rio International Sailing Regatta, é o primeiro teste para as Olimpíadas. Estarão presentes 324 atletas, de 34 países, em cada uma das 10 classes.

CONFIRA A EQUIPE BRASILEIRA DE VELA:

Chefe de equipe:

Torben Grael

Atletas:

Robert Scheidt - Laser Standard
Bruno Fontes - Laser Standard
Fernanda Decnop - Laser Radial
Maria Cristina Boabaid - Laser Radial
Jorge Zarif - FINN
Bruno Prada - FINN
Ricardo Santos - RS:XM
Albert Carvalho - RS:XM
Patrícia Freitas - RS:XF
Bruna Martinelli - RS:XF
Henrique Haddad e Bruno Bethlem - 470M
Geison Mendes e Gustavo Thiessen - 470M
Fernanda Oliveira e Ana Barbachan - 470F
Renata Decnop e Isabel Swan - 470F
Dante Bianchi e Thomas Lowbeer - 49er
Marco Grael e Gabriel Borges - 49er
Martine Grael e Kahena Kunze - 49erFX
Juliana Senftt e Gabriela Nicolino - 49erFX
Clínio de Freitas e Claudia Swan - Nacra
Samuel Albrecht e Geógria Rodrigues - Nacra

Treinadores:

Alexandre Saldanha (Tècnico CBVela) - Laser Standard
Bruno Di Bernardi (Técnico CBVela) - Laser Radial
Maurício Santa Cruz (Tècnico CBVela) - FINN
Fernando Pasqualin (Técnico CBVela) - RS:XM
Alexandre Paradeda (Ténico CBVela) - RS:XF
Tùlio Cipriano (Técnico CBVela) - RS:XF
Rodrigo Amado (Tècnico CBVela) - 470M e 470F
Andrea Mannini (Técnico pessoal) - 470M
Paulo Ribeiro (Tècnico CBVela) - 470F
Alfredo Rovere (Técnico pessoal) - 49er
Andrew Brown (Técnico pessoal) - 49er
Javier Torres (Tècnico CBVela) - 49erFX
Fernando Jacobina (Técnico pessoal) - Nacra
Diego Garay (Técnico pessoal) - Nacra