icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
28/11/2013
18:30

Artilheiro do Santos na atual temporada, com 21 gols, o meia Cícero tem sido um dos principais destaques do time em 2013. Embora tenha contrato até o fim do ano que vem, ele lamenta a postura da diretoria do clube e pede mais valorização para seguir no Peixe.

Emprestado pelo Tombense-MG, clube do empresário Eduardo Uram, ele gostaria de receber um aumento salarial.

- O Santos nunca se pronunciou direito, mas eu, independente disso, sabia que tinha contrato com o clube, entrei em campo para fazer meu melhor. E agora em dezembro só Deus sabe o que pode acontecer. É lógico que a gente espera resolver uma situação, e até agora acho que está pela metade - disse o jogador em entrevista coletiva nesta quinta-feira.

E MAIS:
> Otimista pelo Pacaembu, dirigente do Santos diz: 'Não vamos gastar nada'
> Peixe negocia com meia Diego há um mês, e Wolfsburg estipula preço
> Doquinha Gonzaga: Alegres não podem ver alvinegro na semi

Desde o início do ano no Alvinegro, o atleta contou que, desde então, seu contrato não recebeu nenhum reajuste. Em setembro o volante e a diretoria do clube tentaram renovar o vínculo, mas as tratativas se encerraram sem um acordo entre as duas partes. Cícero explica a cobrança por uma atitude dos dirigentes.

- Todo jogador pensa, eu mesmo sempre penso no futuro da minha família, porque a gente sabe como funcionam as coisas no futebol. Vou deixar na mão do meu empresário e do pessoal do Santos para ver o que vai resolver. Quando chegar algo para mim, vou pensar se vai me satisfazer ou não - afirmou.

O jogador foi quem mais jogou pelo Peixe nesta temporada: 66 vezes. Tratado como indispensável pela diretoria, ele recebeu sondagens do Internacional e do Borussia Mönchengladbach, da Alemanha, no meio deste ano.