icons.title signature.placeholder Murilo Dias
15/07/2014
21:31

A realidade foi dura com o torcedor brasileiro. O futebol apresentado por Ponte Preta e Portuguesa, na noite desta terça-feira, no estádio Moisés Lucarelli, foi o oposto do visto durante a Copa do Mundo de 2014. O magro 0 a 0 reflete a pouca movimentação e emoção que o jogo ofereceu.

O primeiro tempo teve a equipe de Campinas pressionando, mas sem muita efetividade. Edno, um dos principais nomes do time, pouco fez e não assustou o goleiro Rafael Santos. O juiz Vinícius Furlan colocou um fim na primeira etapa logo aos 46 minutos, um alívio para os poucos torcedores no estádio.

A segunda etapa, no entanto, foi um tanto quanto mais animada. A Ponte seguiu comandando as ações e, desta vez, exigiu e muito do goleiro adversário. Logo aos dois minutos, Alexandro completou cruzamento de cabeça e Rafael Santos fez bela defesa. O goleiro da Lusa voltou a repetir boas ações quatro minutos depois, em nova investida de Alexandro, e aos 14, quando Daniel Borges tentou marcar um gol olímpico.

Ataques pouco inspirados, defesas confusas, um meio apagado. O empate ficou justo para Ponte e Portuguesa. O que não agrada é a posição da Lusa na tabela, 18ª. O time de Campinas, por sua vez, subiu para o sexto lugar na classificação da Série B.