icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
12/02/2015
00:07

A história do bom San-São desta quarta-feira na Vila Belmiro seria contada a partir dos goleiros. Seria. Porque Rogério Ceni brilhou de tal forma que ofuscou não só os 26 jogadores de linha, como Vanderlei, camisa 1 do Santos que também teve uma noite inspirada. Com uma atuação impecável e defesas memoráveis, o ídolo tricolor evitou a vitória santista e garantiu o 0 a 0 na Vila Belmiro.

Os críticos dirão que a bola de Geuvânio foi em cima dele. Os rivais argumentarão que Ricardo Oliveira e Marquinhos Gabriel facilitaram as coisas. Os santistas lamentarão a falta de pontaria de Renato ou Robinho, e os saudosistas afirmarão que é um absurdo comparar a magnífica série de defesas do camisa 01 com as de Rodolfo Rodríguez no mesmo gol do placar da Vila. Ok, pode ser tudo verdade. Mas nem por isso o goleiro de 42 anos merece ser menos exaltado ou ovacionado por sua torcida, que não tem dúvidas em cantar que é o "melhor goleiro do Brasil".

Ceni, melhor em campo, 'consola' santista Ricardo Oliveira (FOTO: Miguel Schincariol)

Rogério foi decisivo para evitar uma goleada do Santos, que fez sua melhor partida no ano justamente contra o adversário mais difícil. Mais entrosado, compacto atrás e com velocidade para contra-atacar, o Peixe foi melhor até do que nos 3 a 0 sobre o Ituano na estreia, mas não conseguiu converter a superioridade em gols. Não só por méritos de Ceni, mas também por erros de finalizações, certa ineficiência de Lucas Lima e a velha dificuldade de ligar a defesa ao ataque. Alison vai mal nos passes, Renato não tem mas o gás de outrora. Acrescente a isso os erros de passe de David Braz e Werley e sinta o drama alvinegro para tirar a bola do campo de defesa.

Mesmo assim, depois de um início acuado, o Peixe cresceu, explorou bem seus laterais e chegou com perigo, igualando as ações no fim do primeiro tempo.

[[GAL:LANPGL20150212_0002]]

Do outro lado, o São Paulo não só perdeu o 100% de aproveitamento no Estadual, como saiu com algumas preocupações a uma semana do clássico contra o Corinthians pela Libertadores. Rogério só brilhou porque a defesa deixou buracos. Melhor no início, o Tricolor caiu de produção e mal atacou no segundo tempo. Ao tentar encontrar uma variação para o ataque, Muricy aumentou a dúvida sobre o companheiro de Luis Fabiano. Ewandro foi tímido, mas natural para quem entrou sem entrosamento justamente em um clássico. Pato, que não pode enfrentar o Corinthians, teve atuação pífia. E Kardec... Bem, difícil julgá-lo por 11 minutos. O técnico, então, ouviu da arquibancada o recado de que não há muito tempo para testes: "é quarta-feira", gritaram os são-paulinos.

Antes do Majestoso, o São Paulo encara o Bragantino, fora de casa, no sábado de Carnaval. No mesmo dia o Peixe enfrenta o São Bernardo, no ABC Paulista.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 0 X 0 SÃO PAULO

Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data/Hora: 11/2/2015 – 22h
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho
Auxiliares: Daniel Paulo Ziolli (SP) e Rafael Tadeu Alves de Souza (SP)
Renda/Público: 8.867 pagantes/ R$ 269.545,00
Cartões Amarelos: David Braz, Robinho e Elano (SAN); Rafael Tolói, Reinaldo e Luís Fabiano (SPO)

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Werley, David Braz e Chiquinho; Alison, Renato e Lucas Lima (Elano, 35'/2ºT); Robinho (Lucas Crispim, 42/2ºT), Geuvânio e Ricardo Oliveira (Marquinhos Gabriel, 27'/2ºT). Técnico: Enderson Moreira.

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Bruno, Rafael Tolói, Lucão e Reinaldo; Denílson, Souza, Ganso e Michel Bastos; Ewandro (Alexandre Pato, 15'/2ºT) e Luís Fabiano (Alan Kardec, 34'2/ºT). Técnico: Muricy Ramalho.