icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
14/11/2013
00:17

O goleiro Rogério Ceni deixou o gramado do Novelli Júnior, em Itu, ovacionado pela torcida do São Paulo e ouvindo pedidos para adiar a aposentadoria após a vitória por 2 a 0 sobre o Flamengo. Após encerrar jejum em cobranças de pênalti - havia errado as últimas quatro, contra Bayern de Munique (ALE), Portuguesa, Criciúma e Corinthians -, o camisa 01 declarou ter vontade de jogar "para o resto da vida".

- Durante os 90 minutos, você tem vontade de jogar para o resto da vida. Mas a vida não dura 90 minutos. A vida é composta de um agregado de coisas, não é fácil você ter condições de jogar 90 minutos bem. Não dá para jogar 70, 75, 80 jogos em um ano. Eu não vou enganar meu clube, não vou pegar dinheiro do São Paulo sem ter capacidade. Hoje eu me sinto bem, mas daqui a um ano não sei. Tem uma série de coisas, e dentro do prazo que temos vamos decidir. O São Paulo está bem servido na posição - disse o capitão, que brincou com o jejum nos pênaltis.

- Você tem que fazer. Depois que você perde quatro, se você perde os caras te matam. O Muricy determinou que eu batesse, o Aloísio não estava presente. Hoje (quarta-feira) consegui fazer o gol, que nos ajudou. Quem pega a bola e assume a responsabilidade está sempre entre uma linha estreita de sucesso e fracasso - acrescentou.

Rogério Ceni, aos 40 anos de idade, já declarou que gostaria de encerrar a carreira no fim desta temporada. Nos últimos tempos, no entanto, tem se mostrado indeciso e não se abre nem com pessoas próximas. A boa fase do São Paulo, que já está em sétimo lugar no Campeonato Brasileiro, ajuda a deixá-lo confuso.

Ceni desencanta e São Paulo vence o Flamengo em Itu