icons.title signature.placeholder Mariah D'Ávila e Walace Borges
07/12/2013
07:26

Classificar o Botafogo para a Libertadores depois de 17 anos é a principal motivação para os jogadores do elenco. Entretanto, um atleta em especial tem motivos de sobra para querer derrotar o Criciúma, amanhã, no Maracanã. Revelado pelo Avaí, em 2004, o lateral-direito Edilson, de 27 anos, conversou com a reportagem do LANCE!Net sobre a rivalidade que alimenta há quase uma década com o Tigre.

Edilson espera ajudar o Botafogo no duelo contra o Criciúma (FOTO: Alexandre Loureiro)

Bem-humorado como de costume, Edilson lembrou que disputou o primeiro clássico como profissional diante do próprio Criciúma, em 2004. Com 17 anos, ele “entrou na fogueira”, mas saiu-se bem. Naquele ano, o então garoto despontou e foi eleito o melhor lateral-direito do Campeonato Catarinense

– Por ter começado no Avaí, enfrentei o Criciúma diversas vezes em Santa Catarina. Era meu rival e cultivei isso, conheço muito bem. Temos de pensar em fazer o nosso papel, independentemente da equipe deles. São jogadores de alto nível. Tem o Wellington Paulista e outros. Temos de pensar em nós e vencer. Nosso jogo é muito decisivo, é a nossa vida. Temos de fazer o nosso melhor – afirmou o camisa 33, comentando também a partida contra o Tigre, no primeiro turno do Brasileiro deste ano, vencida pelo Glorioso por 2 a 1:

– Acho que aquele jogo foi meu divisor de águas no Botafogo. Ali começou tudo para mim. Era um jogo importante, fora de casa. Tinha de fazer o meu melhor para ficar na equipe. Fui para aquele jogo pensando em tudo que estava acontecendo. Ainda bem que deu certo.

No treino de ontem, Edilson deixou a atividade em poucos minutos. Ele teve um corte na panturrilha, mas não preocupa para o jogo de amanhã.