icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
08/07/2014
09:30


A Seleção vai jogar sem capitão e ídolo nesta terça, certo? Errado. Sem Thiago Silva e Neymar, David Luiz irá acumular as duas “funções” contra a Alemanha. Considerado dentro da concentração como o “vice-capitão”, o zagueiro tem feito muito mais do que isso desde que o grupo se reuniu, em 26 de maio. Ganhou popularidade com a torcida e virou uma das principais lideranças da equipe.

Quem vê à distância acha que David é apenas o brincalhão, querido pelas crianças, sempre sorridente. Os amigos contam que muitas vezes ele dá duras inesperadas, visando corrigir alguma rota. A braçadeira que ele irá herdar de Thiago Silva não faz tanta diferença.

– Estou realizando um sonho de menino, de representar a nação. Não importa a faixa, todos têm voz ativa na equipe. Seja eu, seja o Thiago, não muda muita coisa.

Foi o zagueiro quem tomou a iniciativa de consolar e dar força a Willian e Hulk quando os dois perderam pênaltis contra o Chile. Capitão pela última vez no amistoso preparatório contra o Panamá, ele já usou a braçadeira outras vezes com Felipão e Mano Menezes.

David tem trabalhado na tentativa de levantar o ânimo do time desde que a fratura de Neymar foi confirmada. Os dois gols marcados contra Chile e Colômbia só aumentaram a popularidade de David Luiz, que esteve em campo em todos os minutos jogados do Brasil. Hoje, trabalha também para não perder entrosamento na defesa: com Thiago Silva ele não perde há 26 partidas. A última derrota de David pela Seleção foi justamente ao lado de Dante, por 2 a 1, para a Inglaterra, na reestreia de Felipão.

– Treinamos todo dia, todo mundo se conhece. Quando estou com o Thiago, Dante e Henrique, fazemos questão de conversar sobre coisas de jogo – comentou o zagueiro.

Seriedade no campo. Já na concentração sobrou até para Luiz Felipe Scolari.

- Antes do jantar, dei uma série de risada porque eu estava meio escondidinho e vi o quanto David Luiz imitava o meu jeito de olhar, falar e sinalizar... - disse o técnico.

OS ADVERSÁRIOS DE DAVID E DA SELEÇÃO

Croácia
Recuperou seis bolas e fez um desarme. Zagueiro percorreu 8.962 metros em campo. Ele deu dois chutes a gol.

México
Zagueiro fez dois desarmes e recuperou cinco bolas. Percorreu 8.257 metros no empate sem gols da Seleção Brasileira em Fortaleza. David deu um chute a gol.

Camarões
Foi o jogo com maior número de desarmes dele: cinco. David recuperou outras cinco bolas e percorreu 8.560 metros na vitória por 4 a 1 do Brasil.

Chile
Fez o gol no empate em 1 a 1, e converteu o primeiro penal. Fez quatro desarmes. Correu 10.979 metros no Mineirão.

Colômbia
David fez gol de falta, um desarme e recuperou quatro bolas: correu 8.105m.