icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
17/07/2013
23:47

A torcida corintiana vive uma lua de mel com os títulos. E desta vez, o ciclo está completo, com a tríplice coroa internacional: Copa Libertadores, Mundial e, agora, a Recopa! Com gritos de olé, o Corinthians venceu o São Paulo por 2 a 0 nesta quarta-feira, no estádio do Pacaembu, pelo jogo de volta e faturou o título da competição sul-americana. Na partida de ida, no Morumbi, a equipe já havia triunfado por 2 a 1.

Romarinho e Danilo fizeram para o clube de Parque São Jorge, que chegou ao quarto título internacional da sua história (além dos três na sequência já havia obtido o Mundial de 2000) e ainda aumentou a crise do lado dos tricolores, que não vencem há nove partidas.

É UM MAJESTOSO INTERNACIONAL

O confronto entre Corinthians e São Paulo agita a cidade e chama atenção do país. E ainda mais quando vale uma taça de torneio internacional para a galeria de um dos rivais. Não à toa que as imediações do estádio do Pacaembu foram tomadas pelo torcedores que, horas antes, chegaram ao estádio. De um lado, otimismo e confiança estampavam o semblante dos alvinegros. Do outro, as buscas por recomeço e desafogo à crise.

Horas antes, cenas de violência no metrô, que foram apaziguadas pela segurança. No palco do espetáculo, faixas de incentivo e também de provocações. Na escalação, o técnico Paulo Autuori esperou até os últimos momentos, mas não pôde escalar o lateral-esquerdo Clemente Rodríguez, punido pela Conmebol por uma expulsão ainda com a camisa do Boca Juniors (ARG), e Jadson, com dores no tornozelo direito. Problemas aliados ao mau momento do time resultam em ainda mais dificuldades.

Dificuldades estas medidas diante do Corinthians. Compacto e mais entrosado, o time de Parque São Jorge teve os retornos de Danilo, este titular, e de Douglas e Renato Augusto, ambos como opções no banco, que estavam machucados. Com contrato renovado, Sheik também foi a campo. Com isso, Tite teve a oportunidade de escalar o mesmo time que ganhou na ida.

Em campo, Autuori escalou o time com três volantes. Mais recuado, o São Paulo teve mais posse de bola no primeiro tempo, 57%, o que pouco ilustrou o momento. As trocas de passes eram do meio para trás, à procura de espaços. Ganso até tentou criar, mas pouco contribuiu. Estava entregue à marcação. Osvaldo e Luis Fabiano ficaram à mercê dos zagueiros. As subidas dos laterais foram ineficazes. Do outro lado, o "renovado" Sheik apareceu nas pontas para levar perigo. Mas, sem muito medo a Ceni. 

Luis Fabiano e Paulo André dividem a bola (Foto: Eduardo Viana/LANCE!Press)

Mais incisivo e com a vantagem, o Corinthians ainda aumentou o prejuízo do rival. Após lançamento de Edenilson, Sheik dominou na área e rolou para Guerrero. O peruano fez a proteção à frente da área e a bola sobrou para Romarinho. Na frente de Ceni, o "Iluminado" tocou para o fundo das redes e foi para a torcida. A essa altura, o Tricolor precisava marcar dois gols para provocar a prorrogação.

Com o tento, a torcida corintiana começou a gritar "olé", ainda no primeiro tempo, aumentando a aflição do adversário, que não vence há oito jogos e, com essa partida, aumentava para nove...Nem mesmo a mudança de técnico parece surtir o efeito desejado. Sorte do Timão, que ficou a 45 minutos do quarto título internacional da história (Dois Mundiais e uma Libertadores já estão na sala de troféus). Por outro lado, o rival tem 12.

AUMENTA O PLACAR E A CRISE TRICOLOR

Maus resultados, turbulências, críticas das arquibancadas, confusão no aeroporto dias antes, um novo treinador que busca implantar o seu estilo de jogo, um adversário entrosado, além do tempo que corria contra. Esse foi o cenário do São Paulo ao subir as escadarias do Pacaembu rumo ao segundo tempo. Difícil? Complicado? Mas ainda havia esperança. Para reverter, Wellington deu lugar a Aloísio.

Mesmo com o time mais à frente, quem tomou a iniciativa foi o Corinthians. Bem postado, aproveitou as brechas na defesa adversária. Romarinho e Sheik foram posicionados mais abertos. Com isso, o meio tinha mais espaços para girar e trabalhar a bola. Em uma chance, Fábio Santos ficou cara a cara com Rogério Ceni e bateu fraco, para a fácil defesa do goleiro tricolor.

Do outro lado, o São Paulo desperdiçou a melhor das oportunidades até então. Ganso deu belo passe por cima para Aloísio, que chutou em cima de Cássio. O goleiro fez grande defesa. E quando a fase é ruim, o velho ditado de "quem não faz, toma" aparece. E apareceu com um velho conhecido dos tricolores. Após cruzamento, Danilo cabeçou para uma linda defesa de Ceni. Mas, no rebote, o meia não falhou e mandou para o fundo das redes.

Fiel lota Pacaembu e faz linda festa em título do Timão

Gol com beijo no escudo e, agora, com mais títulos conquistados com o Corinthians do que o rival. Integram Libertadores, Mundial, Brasileiro e Paulista. Agora, a Recopa o diferencia.

O São Paulo ainda buscou, lutou e se esforçou para conquistar o título, mas teve de ver o arquirrival campeão do torneio. Até Paulinho, que foi ao estádio rever os ex-companheiros, entoou o grito de "É campeão".

Com o resultado, o Corinthians segue invicto em mata-matas contra o rival neste século. Foram seis duelos do gênero e seis triunfos corintianos. Em toda a história, o Timão conquistou seis títulos em cima do rival e perdeu três. 

PRÓXIMOS JOGOS

Agora, as duas equipes focam no Campeonato Brasileiro. O Corinthians vai encarar o Atlético-PR, no estádio Durival de Britto, neste domingo, às 16h. Enquanto isso, o São Paulo enfrenta o Cruzeiro, no próximo sábado, às 18h30, no estádio do Morumbi. As partidas são válidas pela oitava rodada da competição nacional.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 2 X 0 SÃO PAULO

LOCAL: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
DATA/HORÁRIO: 17/7/2013, às 21h50
ÁRBITRO: Paulo César de Oliveira
ASSISTENTES: Marcio Santiago (MG) e Fabricio Vilarinho (GO)

PÚBLICO/RENDA: 36.050 pagantes / R$ 1.875.887,00
CARTÕES AMARELOS: Danilo (COR); Douglas (SAO)
CARTÕES VERMELHOS: -
GOLS: Romarinho, 35'/1ºT (1-0); Danilo, 23'/2ºT (2-0)

CORINTHIANS: Cássio, Edenilson, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Guilherme, Romarinho (Renato Augusto - 34'/2ºT), Danilo e Emerson (Ibson - 42'/2ºT); Guerrero (Alexandre Pato - 40'/2ºT). Técnico: Tite.

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Douglas, Lúcio, Rafael Toloi e Juan (Maicon - 22'/2ºT); Wellington (Aloísio - intervalo), Rodrigo Caio, Denilson, e Paulo Henrique Ganso; Osvaldo e Luis Fabiano. Técnico: Paulo Autuori.

A torcida corintiana vive uma lua de mel com os títulos. E desta vez, o ciclo está completo, com a tríplice coroa internacional: Copa Libertadores, Mundial e, agora, a Recopa! Com gritos de olé, o Corinthians venceu o São Paulo por 2 a 0 nesta quarta-feira, no estádio do Pacaembu, pelo jogo de volta e faturou o título da competição sul-americana. Na partida de ida, no Morumbi, a equipe já havia triunfado por 2 a 1.

Romarinho e Danilo fizeram para o clube de Parque São Jorge, que chegou ao quarto título internacional da sua história (além dos três na sequência já havia obtido o Mundial de 2000) e ainda aumentou a crise do lado dos tricolores, que não vencem há nove partidas.

É UM MAJESTOSO INTERNACIONAL

O confronto entre Corinthians e São Paulo agita a cidade e chama atenção do país. E ainda mais quando vale uma taça de torneio internacional para a galeria de um dos rivais. Não à toa que as imediações do estádio do Pacaembu foram tomadas pelo torcedores que, horas antes, chegaram ao estádio. De um lado, otimismo e confiança estampavam o semblante dos alvinegros. Do outro, as buscas por recomeço e desafogo à crise.

Horas antes, cenas de violência no metrô, que foram apaziguadas pela segurança. No palco do espetáculo, faixas de incentivo e também de provocações. Na escalação, o técnico Paulo Autuori esperou até os últimos momentos, mas não pôde escalar o lateral-esquerdo Clemente Rodríguez, punido pela Conmebol por uma expulsão ainda com a camisa do Boca Juniors (ARG), e Jadson, com dores no tornozelo direito. Problemas aliados ao mau momento do time resultam em ainda mais dificuldades.

Dificuldades estas medidas diante do Corinthians. Compacto e mais entrosado, o time de Parque São Jorge teve os retornos de Danilo, este titular, e de Douglas e Renato Augusto, ambos como opções no banco, que estavam machucados. Com contrato renovado, Sheik também foi a campo. Com isso, Tite teve a oportunidade de escalar o mesmo time que ganhou na ida.

Em campo, Autuori escalou o time com três volantes. Mais recuado, o São Paulo teve mais posse de bola no primeiro tempo, 57%, o que pouco ilustrou o momento. As trocas de passes eram do meio para trás, à procura de espaços. Ganso até tentou criar, mas pouco contribuiu. Estava entregue à marcação. Osvaldo e Luis Fabiano ficaram à mercê dos zagueiros. As subidas dos laterais foram ineficazes. Do outro lado, o "renovado" Sheik apareceu nas pontas para levar perigo. Mas, sem muito medo a Ceni. 

Luis Fabiano e Paulo André dividem a bola (Foto: Eduardo Viana/LANCE!Press)

Mais incisivo e com a vantagem, o Corinthians ainda aumentou o prejuízo do rival. Após lançamento de Edenilson, Sheik dominou na área e rolou para Guerrero. O peruano fez a proteção à frente da área e a bola sobrou para Romarinho. Na frente de Ceni, o "Iluminado" tocou para o fundo das redes e foi para a torcida. A essa altura, o Tricolor precisava marcar dois gols para provocar a prorrogação.

Com o tento, a torcida corintiana começou a gritar "olé", ainda no primeiro tempo, aumentando a aflição do adversário, que não vence há oito jogos e, com essa partida, aumentava para nove...Nem mesmo a mudança de técnico parece surtir o efeito desejado. Sorte do Timão, que ficou a 45 minutos do quarto título internacional da história (Dois Mundiais e uma Libertadores já estão na sala de troféus). Por outro lado, o rival tem 12.

AUMENTA O PLACAR E A CRISE TRICOLOR

Maus resultados, turbulências, críticas das arquibancadas, confusão no aeroporto dias antes, um novo treinador que busca implantar o seu estilo de jogo, um adversário entrosado, além do tempo que corria contra. Esse foi o cenário do São Paulo ao subir as escadarias do Pacaembu rumo ao segundo tempo. Difícil? Complicado? Mas ainda havia esperança. Para reverter, Wellington deu lugar a Aloísio.

Mesmo com o time mais à frente, quem tomou a iniciativa foi o Corinthians. Bem postado, aproveitou as brechas na defesa adversária. Romarinho e Sheik foram posicionados mais abertos. Com isso, o meio tinha mais espaços para girar e trabalhar a bola. Em uma chance, Fábio Santos ficou cara a cara com Rogério Ceni e bateu fraco, para a fácil defesa do goleiro tricolor.

Do outro lado, o São Paulo desperdiçou a melhor das oportunidades até então. Ganso deu belo passe por cima para Aloísio, que chutou em cima de Cássio. O goleiro fez grande defesa. E quando a fase é ruim, o velho ditado de "quem não faz, toma" aparece. E apareceu com um velho conhecido dos tricolores. Após cruzamento, Danilo cabeçou para uma linda defesa de Ceni. Mas, no rebote, o meia não falhou e mandou para o fundo das redes.

Fiel lota Pacaembu e faz linda festa em título do Timão

Gol com beijo no escudo e, agora, com mais títulos conquistados com o Corinthians do que o rival. Integram Libertadores, Mundial, Brasileiro e Paulista. Agora, a Recopa o diferencia.

O São Paulo ainda buscou, lutou e se esforçou para conquistar o título, mas teve de ver o arquirrival campeão do torneio. Até Paulinho, que foi ao estádio rever os ex-companheiros, entoou o grito de "É campeão".

Com o resultado, o Corinthians segue invicto em mata-matas contra o rival neste século. Foram seis duelos do gênero e seis triunfos corintianos. Em toda a história, o Timão conquistou seis títulos em cima do rival e perdeu três. 

PRÓXIMOS JOGOS

Agora, as duas equipes focam no Campeonato Brasileiro. O Corinthians vai encarar o Atlético-PR, no estádio Durival de Britto, neste domingo, às 16h. Enquanto isso, o São Paulo enfrenta o Cruzeiro, no próximo sábado, às 18h30, no estádio do Morumbi. As partidas são válidas pela oitava rodada da competição nacional.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 2 X 0 SÃO PAULO

LOCAL: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
DATA/HORÁRIO: 17/7/2013, às 21h50
ÁRBITRO: Paulo César de Oliveira
ASSISTENTES: Marcio Santiago (MG) e Fabricio Vilarinho (GO)

PÚBLICO/RENDA: 36.050 pagantes / R$ 1.875.887,00
CARTÕES AMARELOS: Danilo (COR); Douglas (SAO)
CARTÕES VERMELHOS: -
GOLS: Romarinho, 35'/1ºT (1-0); Danilo, 23'/2ºT (2-0)

CORINTHIANS: Cássio, Edenilson, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Guilherme, Romarinho (Renato Augusto - 34'/2ºT), Danilo e Emerson (Ibson - 42'/2ºT); Guerrero (Alexandre Pato - 40'/2ºT). Técnico: Tite.

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Douglas, Lúcio, Rafael Toloi e Juan (Maicon - 22'/2ºT); Wellington (Aloísio - intervalo), Rodrigo Caio, Denilson, e Paulo Henrique Ganso; Osvaldo e Luis Fabiano. Técnico: Paulo Autuori.