icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
04/11/2013
21:38

Rei do Futebol e agora o Rei das gafes. Nesta segunda-feira, o maior ídolo do futebol brasileiro cometeu mais uma falha ao chamar o astro português Cristiano Ronaldo de 'Cristiano Leonardo'. E se engana quem pensa que o ex-jogador só errou desta vez. O ídolo já cometeu deslizes famosos e o LANCE!Net mostra algumas bolas fora do Rei.

Em 1993, o Rei apostou que a seleção da Colômbia seria campeã do Mundial de 1994, mas acabou errando feio. A seleção foi eliminada na primeira fase do torneio. Em 2013, com medo de que isso pudesse acontecer novamente, torcedores colombianos fizeram uma campanha para que o ex-jogador não apostasse novamente na seleção na Copa do Mundo do ano que vem.

Já em 2005 outra 'falha'. O ex-jogador afirmou que o atacante Romário, na época defendendo o Vasco, devia se aposentar. O Baixinho não gostou e respondeu ao ídolo com uma frase enigmática: 'Pelé calado é um poeta'. No mesmo ano, Romário foi o artilheiro do Campeonato Brasileiro, com 22 gols.

Outro deslize do Rei aconteceu em 2009. Em um evento na Dinamarca, Pelé errou ao chamar o astro do basquete Michael Jordan, que na época apoiava a candidatura de Chicago como sede das Olimpíadas de 2016, de Michael Jackson, cantor e Rei do Pop, que faleceu em 2009.

Em 2012, mais um engano, esse inesquecível para os torcedores do Santos. Durante a realização de um evento, o Rei tentou cantar o hino do Santos, mas esqueceu a letra. Vale lembrar que Pelé jogou no Peixe por 18 anos, entre 1956 e 1974.

Pouco antes de Neymar se transferir para o Barcelona, Pelé trocou as bolas mais uma vez. Tentando convencer Neymar de ficar no Brasil, o ex-jogador afirmou que o Peixe era dono de dois títulos mundiais e o Barça nenhum. Porém, o clube espanhol conquistou o torneio por duas vezes, em 2009 e 2011, o último ao vencer o próprio Santos por 4 a 0 na decisão.

Durante as manifestações na Copa das Confederações, o Rei soltou o verbo e acabou presenteando o povo brasileiro com mais uma gafe. O ex-jogador pediu para os manifestantes não quebrarem os estádios, pois o dinheiro já havia sido gasto.