icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
19/12/2013
13:25

Não foi apenas a derrota surpreendente do Atlético-MG para o Raja Casablanca, por 3 a 1, que chamou a atenção nesta quarta-feira, em Marrakesh, no Marrocos. Ao ser substituído pelo técnico Cuca, o lateral direito Marcos Rocha não ficou nem um pouco satisfeito e demonstrou isso enquanto saía de campo. A substituição foi feita aos 16 minutos do segundo tempo, quando o Galo perdia por 1 a 0.

Quando percebeu que seria sacado, para a entrada do atacante Luan improvisado na posição, Marcos Rocha não se preocupou com as câmeras e soltou o verbo contra o treinador. 'Burro pra c...', esbravejou o atleta.

O lateral ficou tão irritado que nem chegou a ver o gol de empate do Alvinegro, marcado por Ronaldinho Gaúcho de falta, ele foi direto para o vestiário. Finalizada a partida, o jogador disse que voltou ao banco de reservas para assistir aos minutos finais da partida e falou sobre o episódio.

- Ele me pediu para ficar na defensiva, eu fiquei. E depois ele colocou um atacante no meu lugar. Eu saí, não concordei com a substituição, fui no vestiário e voltei ao banco para continuar torcendo. Tenho o direito de concordar ou não. Foi opção do Cuca. Sempre tentei fazer o melhor, mas achei que não era válida a substituição. Não achei correta a substituição. Mas não é justificativa para o que aconteceu - afirmou Marcos Rocha.

E MAIS:

> Presidente do Galo confirma saída de Cuca: 'Ele pediu para ir embora'
> Cuca lamenta péssima atuação do Atlético-MG: 'Estamos com vergonha'

Atitude pode gerar punição

O presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil, foi questionado sobre o acontecido e afirmou não ter visto a imagem do momento em que Marcos Rocha sai de campo, mas também deixou claro que a situação vai ser analisada e que o atleta pode ser punido.

- No Atlético, não tem perdão. No Atlético tem multa e não tem multa. Vamos ver a imagem. O Maluf vai ver. Vamos resolver. Mas não tem perdão, aqui não tem confessionário, não tem padre. A gente mexe é no bolso do jogador - afirmou o mandatário.