icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci
28/07/2014
17:08

Um mês após rescindir o contrato de Bruno Peres e anunciar a venda do jogador para o Torino (ITA), o Santos corre o risco de ter de ir à Justiça para receber os cerca de R$ 4,2 milhões acordados na negociação - o valor total da operação é de aproximadamente R$ 6 milhões, dos quais o Peixe tem direito a 70%.

Isso, porém, só acontecerá se o Torino desistir da transação, como tem sido noticiado pela imprensa italiana. O clube de Turim está sem vaga de jogadores estrangeiros no elenco e, por isso, ainda não registrou a transferência do lateral-direito. Atualmente, embora treine no time europeu, Bruno Peres é um jogador livre, já que seu contrato com o Santos foi rescindido.

A diretoria alvinegra acompanha o assunto à distância e acredita estar resguardada, já que o contrato de transferência foi assinado pelo lateral e pelo clube italiano. Por meio de nota, a assessoria de imprensa do Peixe informou: "O negócio foi concretizado, o Santos já cumpriu todas as exigências previstas em contrato e o atleta, hoje, pertence ao Torino."


Bernardo Silva, representante do atleta, viajou no último domingo para a Itália, a fim de resolver o problema. O principal motivo para a confusão foi o fato de Sánchez Miño, argentino contratado pelo Torino do Boca Juniors (ARG), não ter conseguido a cidadania italiana, como esperava.

Por conta do limite de estrangeiros, o Torino não pode sequer registrar Bruno e emprestá-lo a outro clube. A volta dele ao Santos também é improvável, já que depois de negociá-lo o Peixe acertou a contratação de um outro lateral-direito, Victor Ferraz, que estava no Coritiba.

As partes envolvidas no caso aguardam uma definição nos próximos dias e, apesar do clima desagradável, acreditam em uma resolução do problema e na permanência do ala na Itália.