icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes e Rodrigo Cerqueira
21/03/2014
08:04

Natural de São Luís, Richard Danilo se naturalizou belga aos 17 anos. Desde então, passou a ser convocado para as seleções de base do país, atuando com as sensações Hazard e Witsel, garantidos na Copa deste ano. No início de 2014, o meia conseguiu a rescisão com o Metalurh Donetsk (UCR), e, agora, está na mira do Metalist.

A quebra de contrato com o clube ucraniano se deu por motivos sem ligações com a crise política no país, coincidindo só com o período das manifestações contra o então presidente Viktor Yanukovich, deposto no fim de fevereiro.

– Eles me deviam alguns meses de salários atrasados, e prêmios de jogos que não pagaram. Eles queriam renovar até 2017. Disseram que se eu não renovasse, não me dariam o meu dinheiro. Ganhei na Fifa a causa. Só posso começar em outro clube no dia 1 de junho – contou ao LANCE!Net Richard Danilo.

Filho de Wamberto, jogador que começou a carreira no Sampaio Corrêa, o meia foi para a Bélgica aos cinco anos de idade, quando o pai se transferiu para o país. Antes de atuar no país, teve uma passagem pelo Ajax (HOL).

A sondagem do Metalist, por sua vez, não deixou Richard Danilo entusiasmado. Os novos desdobramentos da crise política, apesar de Kharkiv não ter sido um palco das convulsões sociais, podem impedir a continuidade da carreira do jogador no Leste Europeu.

– O Metalist me procurou para voltar e continuar treinando. Depois receberia uma proposta de contrato. Não queria muito voltar, por toda a situação. Falei com o Jajá, que foi para o Coritiba (deixou o Metalist). Está complicado – disse.

Ucranianos não aceitam a rescisão

Apesar do respaldo da Fifa documentado e que permite Richard Danilo acertar com outro clube a partir de junho, o Metalurh Donetsk não aceitou a rescisão e já criou empecilhos para o acerto do meia com outras equipes.

– Em dezembro, iria para o Olympiacos (GRE). O meu clube jogou a multa lá em cima, pedindo cinco milhões de euros (R$ 16 milhões), mas eu não tinha cláusula de rescisão. E também não valia a pena pagarem esse valor, porque dez meses depois eu ficaria livre. Recebi também uma proposta do Anzhi (RUS), mas também não quiseram pagar – explicou o meia.

Sem definir se irá escutar uma proposta do Metalist, o jogador espera a autorização para poder assinar com outro clube e alimenta a esperança de ter uma oportunidade para jogar no Brasil.

– Na época em que o Palmeiras tinha uma parceria com o Ajax, em 2010, quase fui jogar no clube. Meu sonho é jogar no país – comentou Richard Danilo.

CONFIRA ALGUNS TRECHOS DA CARTA DO METALURH EM RELAÇÃO AO CASO DE RICHARD DANILO

"Apesar do atual contrato de Richard Daniel de FC Metallurg ( Donetsk) , que expira em 31 de Dezembro de 2014, hoje é 1º de março de 2014 e ele não participou do treinamento da equipe. Uma situação semelhante repetiu-se e em 13 de março deste ano"

"O futebol não pode ficar de fora dos problemas nacionais . A partir dos relatos da mídia , sabemos que outros clubes de futebol do país passam pelo mesmo tipo de problema. Um pequeno atraso no pagamento dos salários é devido à instabilidade dos bancos na Ucrânia"

"Nós gostaríamos de dizer que o problema surgiu apenas com Richard Daniel, cujo agente é Dmitry Carl. Nosso clube gostaria de resolver todas as questões exclusivamente na área jurídica"

QUEM É

Nome: Richard Danilo Maciel Sousa Campos

Nascimento: 13/1/1990, em São Luís (MA)

Nacionalidade: Brasileira e belga

Altura e peso: 1,73m e 71kg

Posição: Meia

Clubes: Ajax (2009,2010), Standard Liègue, da Bélgica (2012 até 2012), Metalurh Donetsk (2012 até 2014).