icons.title signature.placeholder Pedro Barboza
12/03/2014
13:42

Cerca de 31 anos depois, Flamengo e Bolívar voltam a se enfrentar nesta quarta-feira, às 22h, no Maracanã. O último capítulo deste duelo foi em 1983, também pela competição continental, e na ocasião o mundo era bem diferente do visto hoje em dia.

Em 83, cada equipe venceu uma partida. Na altitude de La Paz, o Flamengo foi derrotado por 3 a 1. Na volta, no Maracanã, os rubro-negros não perdoaram e devolverm o placar com juros, na vitória por 5 a 2. Agora, o Rubro-Negro espera vencer mais uma vez em casa para ampliar a vantagem sobre os bolivianos.

Um dos jogadores que esteve em campo nos últimos duelos, Adílio garante que ninguém esperava um jogo tranquilo, pois os jogadores já conheciam a força do time boliviano jogando em casa. Para a partida desta quarta, o ex-jogador também não acredita que o time de Jayme de Almeida terá vida fácil.

E MAIS
- Com baixa no Flamengo, João Paulo estreia na Libertadores: 'Vou com tudo'
- Antes renegado, Cáceres vira titular e se torna o ‘tradutor’ do Fla na Liberta

- Alguns não davam nada pelo Bolívar, mas nós conhecíamos muito bem e sabíamos que era uma equipe difícil e que já estava acostumada a jogar Libertadores. Foi complicado, principalmente no primeiro jogo lá na Bolívia. Jogar contra eles na altitude é bem complicado. A Libertadores é um torneio complicado e não tem vida fácil para ninguém, por isso o Flamengo tem de tomar muito cuidado com eles - comentou Adílio.

No último confronto com o Bolívar, o Flamengo entrou em campo com: Raul; Leandro, Figueiredo, Marinho e Junior; Vitor, Elder, Adílio, Robertinho; Baltazar e Júlio Cesar Barbosa. O time era comandado por Carlos Alberto Torres. Julio César Barbosa, Adilio, Robertinho, Elder e Baltazar fizeram os gols da vitória rubro-negra.

Mesmo com o resultado sobre os boivianos, o Flamengo não conseguiu avançar de fase naquele ano, ficando na segunda colocação. O Grêmio, que era do mesmo grupo, sagrou-se campeão da competição continental e ainda conquistou o Mundial Interclubes.

NAÇÃO FICOU ÓRFÃ

A torcida do Flamengo viu um dos maiores ídolos do time ir jogador no futebol italiano. Zico, depois da conquista do Campeonato Brasileiro, acertou a saída para a Udinese (ITA), onde ficou por duas temporadas, mas logo depois voltou a vestir a camisa rubro-negra. No segundo jogo da decisão do Brasileiro, na vitória diante do Santos, por 3 a 0, a torcida lotou o Maracanã. No jogo, 155.253 rubro-negros deixaram a marca de mior público de apenas uma torcida, no Maraca.

FATOS QUE MARCARAM O ANO DE 1983

Se 1983 ficou marcado como o ano dos únicos confrontos entre as duas equipes - e também da conquista do tricampeonato brasileiro do Flamengo -, alguns fatos marcaram a história do país e do mundo. Em transição política, os primeiros governadores eleitos diretamente pela população após o Golpe Militar de 64 tomaram posse, além do anúncio da maxidesvalorização da moeda corrente à época: o Cruzeiro. No mundo esportivo, Nelson Piquet foi o vencedor do mundial de Fórmula 1 pela segunda vez. Enquanto isso, Ayrton Senna ainda disputava Fórmula 3 Inglesa e se sagrou campeão. Por sua vez, o futebol perdia Garrincha, o Anjo das Pernas Tortas.

Na TV, estreava a Rede Manchete e um programa infantil com uma apresentadora ainda desconhecida chamada Xuxa. O ano foi denominado pela Organização das Nações Unidas (ONU) como "Ano Mundial das Telecomunicações". Sinal disso, é que o Atari, primeiro videogame a se popularizar em todo o mundo, foi lançado no Brasil.