icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
14/07/2013
11:30

Em mais um dia de festa no Maracanãzinho, a Seleção Brasileira não deu colher de chá para os Estados Unidos e encerrou a primeira fase da Liga Mundial de vôlei com vitória neste domingo. Após ter vencido os americanos neste sábado por 3 sets a 1, o time nacional desta vez triunfou sem perder sets, por 3 a 0 e parciais de 25-21, 26-24 e 25-23.

O técnico Bernardinho novamente colocou uma equipe diferente em quadra. O central Maurício Souza e o ponta Lipe foram as novidades em relação ao jogo deste sábado. Lucarelli e Éder não começaram jogando desta vez. Os americanos também mudaam e Kawika Shoji começou como o levantador da equipe, após ter tido boa atuação no primeiro jogo.

Agora o Brasil viaja para Mar del Plata, na Argentina, para enfrentar Rússia e Canadá, pelo Grupo E da fase final da liga. O primeiro confronto será com os russos, na próxima quarta-feira.

O maior pontuador do duelo foi o oposto americano Carson Clark, com 16 pontos. Pelo time brasileiro, Wallace foi o grande nome, com 14 pontos, e Lipe também brilhou com dez.

O JOGO

O duelo com os EUA começou parelho e os jogadores brasileiros que estavam sendo testados mostravam um bom jogo. Se no primeiro jogo Thiago Alves não iniciou bem, neste domingo o ponta mostrou ao que veio no início, com um bom ataque e contribuição no bloqueio. Porém, o tempo técnico veio com os americanos à frente por 8 a 7. O Brasil em seguida virou em três saques de Thiago e a torcida explodiu no Maracanãzinho quando Lipe marcou seu segundo ponto de ataque em bela cortada para fazer 12 a 11.

E não tardou para os destaques do primeiro jogo Wallace e Lucão aparecerem. O oposto já surgia como a bola de segurança brasileira e o central acertou um belo bloqueio para fazer 16 a 13 antes de mais um tempo técnico. Como já havia feito alguns vezes no primeiro duelo, Bernardinho trocou William e Wallace por Renan e Raphael e a torcida voltou a explodir quando Renan disparou bela cortada para fazer 18 a 17 Brasil. De volta à quadra, Wallace era o principal dos passes brasileiros e não estava aliviando para os rivais.

À vontade em quadra e com todo o apoio da torcida, o Brasil não demorou para fechar o set em 25 a 21 após um pontos quase sem querer de Lipe, que teve bom aproveitamento na parcial e já havia aplicado um belo bloqueio antes.

Na segunda parcial, o quadro não se alterou muito. Wallace seguia sendo o mais perigoso e o Brasil encostou no placar justamente quando ele foi pro saque. E foi o mesmo Wallace que explorou o bloqueio americano, como já havia feito outras vezes para colocar o Brasil à frente por 8 a 7.

Se no set inicial foram os americanos quem erraram bastante, no segundo os brazucas erraram um pouco mais e permitiram os EUA tomarem a dianteira antes do segundo tempo técnico: 16 a 13. Bernardinho se assustou com o 18 a 13 para os rivais, pediu tempo e voltou a testar Renan e Raphael em quadra.

Foi então que um jogador brasileiro em especial resolveu aparecer de vez: Lucão. O central emplacou uma sequência de três saques, sendo dois aces, para igualar em 20 a 20. Na sequência, Wallace e William retornaram e o Brasil ameaçou fechar o se, mas os americanos empataram em 24 a 24, mas voltaram a errar no saque e no ataque e entregaram a parcial: 26 a 24.

Assim como nos sets anteriores, o terceiro começou bastante equilibrado, mas o Brasil fez 8 a 7 após mais um erro de saque americano – já haviam entregado mais de um set para o Brasil ( 27 erros). O Brasil começou a variar melhor o jogo, Wallace ainda era a melhor opção, mas Lipe e Maurício Souza apareciam mais para finalizar. Foi assim que a Seleção chegou ao tempo técnico com 16 a 13 no marcador.

A Seleção começou a errar um pouco mais que o normal e Maurício Souza e Renan foram alvos da bronca de Bernardinho após ataques falhos. Mas a equipe reagiu, Lipe encaixou o bloqueio e os americanos voltaram a apresentar erros. Wallace foi o responsável pelo belo ataque da virada: 23 a 22. A definição veio com um erro de saque americanos; 25 a 23.

Em mais um dia de festa no Maracanãzinho, a Seleção Brasileira não deu colher de chá para os Estados Unidos e encerrou a primeira fase da Liga Mundial de vôlei com vitória neste domingo. Após ter vencido os americanos neste sábado por 3 sets a 1, o time nacional desta vez triunfou sem perder sets, por 3 a 0 e parciais de 25-21, 26-24 e 25-23.

O técnico Bernardinho novamente colocou uma equipe diferente em quadra. O central Maurício Souza e o ponta Lipe foram as novidades em relação ao jogo deste sábado. Lucarelli e Éder não começaram jogando desta vez. Os americanos também mudaam e Kawika Shoji começou como o levantador da equipe, após ter tido boa atuação no primeiro jogo.

Agora o Brasil viaja para Mar del Plata, na Argentina, para enfrentar Rússia e Canadá, pelo Grupo E da fase final da liga. O primeiro confronto será com os russos, na próxima quarta-feira.

O maior pontuador do duelo foi o oposto americano Carson Clark, com 16 pontos. Pelo time brasileiro, Wallace foi o grande nome, com 14 pontos, e Lipe também brilhou com dez.

O JOGO

O duelo com os EUA começou parelho e os jogadores brasileiros que estavam sendo testados mostravam um bom jogo. Se no primeiro jogo Thiago Alves não iniciou bem, neste domingo o ponta mostrou ao que veio no início, com um bom ataque e contribuição no bloqueio. Porém, o tempo técnico veio com os americanos à frente por 8 a 7. O Brasil em seguida virou em três saques de Thiago e a torcida explodiu no Maracanãzinho quando Lipe marcou seu segundo ponto de ataque em bela cortada para fazer 12 a 11.

E não tardou para os destaques do primeiro jogo Wallace e Lucão aparecerem. O oposto já surgia como a bola de segurança brasileira e o central acertou um belo bloqueio para fazer 16 a 13 antes de mais um tempo técnico. Como já havia feito alguns vezes no primeiro duelo, Bernardinho trocou William e Wallace por Renan e Raphael e a torcida voltou a explodir quando Renan disparou bela cortada para fazer 18 a 17 Brasil. De volta à quadra, Wallace era o principal dos passes brasileiros e não estava aliviando para os rivais.

À vontade em quadra e com todo o apoio da torcida, o Brasil não demorou para fechar o set em 25 a 21 após um pontos quase sem querer de Lipe, que teve bom aproveitamento na parcial e já havia aplicado um belo bloqueio antes.

Na segunda parcial, o quadro não se alterou muito. Wallace seguia sendo o mais perigoso e o Brasil encostou no placar justamente quando ele foi pro saque. E foi o mesmo Wallace que explorou o bloqueio americano, como já havia feito outras vezes para colocar o Brasil à frente por 8 a 7.

Se no set inicial foram os americanos quem erraram bastante, no segundo os brazucas erraram um pouco mais e permitiram os EUA tomarem a dianteira antes do segundo tempo técnico: 16 a 13. Bernardinho se assustou com o 18 a 13 para os rivais, pediu tempo e voltou a testar Renan e Raphael em quadra.

Foi então que um jogador brasileiro em especial resolveu aparecer de vez: Lucão. O central emplacou uma sequência de três saques, sendo dois aces, para igualar em 20 a 20. Na sequência, Wallace e William retornaram e o Brasil ameaçou fechar o se, mas os americanos empataram em 24 a 24, mas voltaram a errar no saque e no ataque e entregaram a parcial: 26 a 24.

Assim como nos sets anteriores, o terceiro começou bastante equilibrado, mas o Brasil fez 8 a 7 após mais um erro de saque americano – já haviam entregado mais de um set para o Brasil ( 27 erros). O Brasil começou a variar melhor o jogo, Wallace ainda era a melhor opção, mas Lipe e Maurício Souza apareciam mais para finalizar. Foi assim que a Seleção chegou ao tempo técnico com 16 a 13 no marcador.

A Seleção começou a errar um pouco mais que o normal e Maurício Souza e Renan foram alvos da bronca de Bernardinho após ataques falhos. Mas a equipe reagiu, Lipe encaixou o bloqueio e os americanos voltaram a apresentar erros. Wallace foi o responsável pelo belo ataque da virada: 23 a 22. A definição veio com um erro de saque americanos; 25 a 23.