icons.title signature.placeholder Ivo Felipe
icons.title signature.placeholder Ivo Felipe
27/07/2013
10:04

O Brasil precisou se valer de uma brecha no regulamento para conquistar neste sábado o título por países da maratona aquática do Mundial de Esportes Aquáticos de Barcelona (ESP). No cômputo geral, Brasil e Alemanha ficaram empatados com 112 pontos.

Os alemães, desta forma, ficariam com a taça, uma vez que conquistaram mais medalhas de ouro do que o Brasil - duas contra uma. No entanto, o chefe da equipe brasileira de maratonas aquáticas, Igor de Souza, protestou contra o resultado.

A alegação foi a de que, no regulamento para a contagem dos pontos, não está inclusa a prova por equipes - em que a Alemanha ficou com o ouro e o Brasil com a prata. A Fina rapidamente reviu o resultado e deu aos brasileiros o título.

Em seguida, com a presença do presidente da Confederação Brasileira de Esportes Aquáticos (CBDA), Coaracy Nunes, a delegação brasileira recebeu o troféu de melhor equipe entre os países.

- Nós sabíamos que íamos ter um bom desempenho. Mas nossa surpresa começou já nos 5km feminino, quando colocamos duas meninas entre as melhores. Foi um trabalho duro, este projeto começou em 2006, e intensificamos ainda mais quando recebemos o direito à sede olímpica - disse Igor de Souza, após o pódio.

O Brasil termina as competições de maratona aquática com cinco medalhas. O ouro foi conquistado por Poliana Okimoto nos 10km. Ela também venceu a prata nos 5km. Ana Marcela Cunha foi prata nos 10km e bronze nos 5km. O time verde e amarelo ainda ficou com o bronze na prova por equipes.

O Brasil precisou se valer de uma brecha no regulamento para conquistar neste sábado o título por países da maratona aquática do Mundial de Esportes Aquáticos de Barcelona (ESP). No cômputo geral, Brasil e Alemanha ficaram empatados com 112 pontos.

Os alemães, desta forma, ficariam com a taça, uma vez que conquistaram mais medalhas de ouro do que o Brasil - duas contra uma. No entanto, o chefe da equipe brasileira de maratonas aquáticas, Igor de Souza, protestou contra o resultado.

A alegação foi a de que, no regulamento para a contagem dos pontos, não está inclusa a prova por equipes - em que a Alemanha ficou com o ouro e o Brasil com a prata. A Fina rapidamente reviu o resultado e deu aos brasileiros o título.

Em seguida, com a presença do presidente da Confederação Brasileira de Esportes Aquáticos (CBDA), Coaracy Nunes, a delegação brasileira recebeu o troféu de melhor equipe entre os países.

- Nós sabíamos que íamos ter um bom desempenho. Mas nossa surpresa começou já nos 5km feminino, quando colocamos duas meninas entre as melhores. Foi um trabalho duro, este projeto começou em 2006, e intensificamos ainda mais quando recebemos o direito à sede olímpica - disse Igor de Souza, após o pódio.

O Brasil termina as competições de maratona aquática com cinco medalhas. O ouro foi conquistado por Poliana Okimoto nos 10km. Ela também venceu a prata nos 5km. Ana Marcela Cunha foi prata nos 10km e bronze nos 5km. O time verde e amarelo ainda ficou com o bronze na prova por equipes.