icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/07/2013
10:07

Seis anos se passaram e nesta quarta-feira, a geração de Seedorf, Jefferson e Lodeiro terá a oportunidade de superar um fantasma existente desde o time de de Dodô, Lucio Flavio e Zé Roberto. Em 23 de maio de 2007, um traumático jogo entre Botafogo e Figueirense terminou com eliminação do Glorioso na semifinal da Copa do Brasil e tornou-se símbolo de uma era difícil. Agora, surge a oportunidade ideal para o Alvinegro mostrar que 2013 será diferente e ficará na lembrança como um ano de títulos.

Em 23 de maio de 2007, no Maracanã, o Botafogo venceu o Figueirense por 3 a 1, em vão. A assistente Ana Paula Oliveira anulou dois gols legais do Glorioso, o goleiro Júlio César falhou feio em chute de Cleiton Xavier nos minutos finais, e um dos melhores times da História recente do Alvinegro sucumbiu. No duelo de ida, o Figueira havia levado a melhor por 2 a 0.

E MAIS
> Botafogo batalha para seguir sem sofrer gols nesta Copa do Brasil
> Glorioso é dono da defesa menos vazada do Brasil e quer manter pegada
> Contra o Figueirense, Botafogo vai na base da cautela para conseguir vaga

Naquele tempo, o Botafogo era a equipe da moda. Estava entre os líderes do Brasileirão, jogava um futebol bonito. Hoje, a fase é praticamente igual, com a presença no topo da classificação da Série A e um padrão de jogo definido. Na época, a Copa do Brasil ficou pelo caminho. Desta vez, é hora de se vingar pelo passado.

- Desde o começo do ano a gente tem por objetivo chegar bem na Copa do Brasil e no Brasileirão. A concentração na Copa do Brasil talvez seja até maior por ser uma competição mais curta. A gente procura ficar focado em cada jogo. Sabemos a história do Botafogo na Copa do Brasil. Não adianta nada fazer boa campanha e depois perder a classificação (na reta final) - disse o atacante Rafael Marques.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 3 X 1 FIGUEIRENSE

BOTAFOGO: Júlio César, Joilson (Diguinho), Vagner (Asprilla) e Alex Bruno; Leandro Guerreiro, Túlio (Adriano Felício), Lucio Flavio e Zé Roberto; Jorge Henrique, André Lima e Dodô. Técnico: Cuca

FIGUEIRENSE: Wilson, Vinícius, Felipe Santana e Édson; Anderson Luiz (Lucas), Henrique, Ruy, Diogo (Victor Simões), Cleiton Xavier e André Santos; Ramon (Léo). Técnico: Mário Sérgio

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Renda: R$ 107.791,00
Público: 64.114 pagantes
Árbitro: Sálvio Spinola Fagundes Filho (Fifa-SP)
Assistentes: Ana Paula Oliveira (SP) e Márcio Luiz Augusto (SP)
Cartão vermelho: Alex Bruno (Botafogo)
Gols: Zé Roberto (BOT), aos 18 minutos do primeiro tempo e André Lima (BOT), aos 46 minutos do primeiro tempo; Cleiton Xavier (FIG), aos 43 minutos do segundo tempo e Vinícius (FIG), contra, aos 48 minutos do segundo tempo

Seis anos se passaram e nesta quarta-feira, a geração de Seedorf, Jefferson e Lodeiro terá a oportunidade de superar um fantasma existente desde o time de de Dodô, Lucio Flavio e Zé Roberto. Em 23 de maio de 2007, um traumático jogo entre Botafogo e Figueirense terminou com eliminação do Glorioso na semifinal da Copa do Brasil e tornou-se símbolo de uma era difícil. Agora, surge a oportunidade ideal para o Alvinegro mostrar que 2013 será diferente e ficará na lembrança como um ano de títulos.

Em 23 de maio de 2007, no Maracanã, o Botafogo venceu o Figueirense por 3 a 1, em vão. A assistente Ana Paula Oliveira anulou dois gols legais do Glorioso, o goleiro Júlio César falhou feio em chute de Cleiton Xavier nos minutos finais, e um dos melhores times da História recente do Alvinegro sucumbiu. No duelo de ida, o Figueira havia levado a melhor por 2 a 0.

E MAIS
> Botafogo batalha para seguir sem sofrer gols nesta Copa do Brasil
> Glorioso é dono da defesa menos vazada do Brasil e quer manter pegada
> Contra o Figueirense, Botafogo vai na base da cautela para conseguir vaga

Naquele tempo, o Botafogo era a equipe da moda. Estava entre os líderes do Brasileirão, jogava um futebol bonito. Hoje, a fase é praticamente igual, com a presença no topo da classificação da Série A e um padrão de jogo definido. Na época, a Copa do Brasil ficou pelo caminho. Desta vez, é hora de se vingar pelo passado.

- Desde o começo do ano a gente tem por objetivo chegar bem na Copa do Brasil e no Brasileirão. A concentração na Copa do Brasil talvez seja até maior por ser uma competição mais curta. A gente procura ficar focado em cada jogo. Sabemos a história do Botafogo na Copa do Brasil. Não adianta nada fazer boa campanha e depois perder a classificação (na reta final) - disse o atacante Rafael Marques.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 3 X 1 FIGUEIRENSE

BOTAFOGO: Júlio César, Joilson (Diguinho), Vagner (Asprilla) e Alex Bruno; Leandro Guerreiro, Túlio (Adriano Felício), Lucio Flavio e Zé Roberto; Jorge Henrique, André Lima e Dodô. Técnico: Cuca

FIGUEIRENSE: Wilson, Vinícius, Felipe Santana e Édson; Anderson Luiz (Lucas), Henrique, Ruy, Diogo (Victor Simões), Cleiton Xavier e André Santos; Ramon (Léo). Técnico: Mário Sérgio

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Renda: R$ 107.791,00
Público: 64.114 pagantes
Árbitro: Sálvio Spinola Fagundes Filho (Fifa-SP)
Assistentes: Ana Paula Oliveira (SP) e Márcio Luiz Augusto (SP)
Cartão vermelho: Alex Bruno (Botafogo)
Gols: Zé Roberto (BOT), aos 18 minutos do primeiro tempo e André Lima (BOT), aos 46 minutos do primeiro tempo; Cleiton Xavier (FIG), aos 43 minutos do segundo tempo e Vinícius (FIG), contra, aos 48 minutos do segundo tempo