icons.title signature.placeholder Thiago Ferri
02/11/2014
08:33

Os primeiros jogos de Tobio no Palmeiras não foram fáceis. Contratado em junho, a pedido de Ricardo Gareca, o zagueiro teve problemas para se adaptar ao Brasil. Agora sob a batuta de Dorival Júnior, o argentino diz ter passado a fase de adaptação, e fez dois bons jogos ao lado do jovem Nathan. Às 20h deste domingo, contra o Bahia, a dupla joga mais uma vez junta, para afastar mais o Verdão da zona de rebaixamento.

Nos primeiros jogos, o camisa 2 mostrava-se lento, tanto que depois de participar em lances de gol de Cruzeiro e Corinthians, Gareca decidiu colocá-lo no banco diante do Bahia, no primeiro turno. Muita coisa mudou nesses três meses.

– Agora já estou adaptado com o grupo, compreendendo mais o idioma, a forma de jogo do Brasil, que é diferente da que eu estava acostumado na Argentina. Eu me sinto melhor. Quem vem de outro país precisa de uma adaptação, sinto que já passei por isto – disse, ao LANCE!Net.

Neste processo, aprender a se comunicar melhor teve grande importância. Quando chegou, Tobio tinha dificuldades com o português, mas agora já se sente em condições de até cobrar seus companheiros dentro de campo.

– O zagueiro precisa conversar com os companheiros, e agora eu falo bem, me faço entender. (Cobrar) já é mais fácil, tinha dificuldade em tudo, e acho que estou bem. Quero ainda melhorar o meu nível – reforçou.

O torcedor, antes desconfiado do pupilo de Gareca, já começa a ter mais confiança no beque, que no returno jogou bem contra Cruzeiro e Corinthians. Embora satisfeito com aquilo que tem apresentado sob o comando de Dorival Júnior, o hermano de 25 anos, e que assinou até 2019, não se dá por satisfeito.

Ele diz que ainda precisa crescer para chegar ao nível apresentado no Vélez Sarsfield (ARG). Pegar nesta noite na Fonte Nova o segundo pior ataque do Brasileiro só pode ajudá-lo.

– Eu estou melhorando, sei que preciso mostrar muito aqui, mas aos poucos me sinto melhor. No Vélez eu apresentei um nível alto, e aqui no Palmeiras creio que estou começando a evoluir. Agora tenho de seguir assim, e trabalhando para melhorar a cada dia mais – falou.

CONFIRA UM BATE-BOLA EXCLUSIVO COM TOBIO:

Você teve de mudar seu estilo de jogo para se adaptar ao Brasil?
Sim, no começo já me dei conta que o jogo é mais rápido, se passa da defesa ao ataque mais rápido, e fui falando com companheiros, para tratar de entender. Me custou um pouco a princípio, mas olhando e jogando, já me sinto melhor.

Com quem você se sente mais confortável: Lúcio ou Nathan?
Com os dois. Com Lúcio e Nathan. O técnico é quem forma o time e eu tenho de me adaptar a tudo.

O que acha de São Paulo?
Vivo perto do Palmeiras, conheço aos poucos a cidade, mas eu gosto. Minha namorada (Sheila) mora comigo, e quando tenho fim de semana livre vou à Argentina ver minha filha e, às vezes (a família) vem ao Brasil. A companhia deles é importante. Dou valor a isso.