icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
18/07/2013
11:39

Aranha, Galhardo, Edu Dracena, Durval e Léo; Alan Santos, Cícero, Leandrinho e Montillo; Neilton e Willian José. Este é o time do Santos que deve estar em campo para encarar o Coritiba, líder do Brasileirão, no próximo domingo, na Vila Belmiro. A formação é a mesma que goleou a Portuguesa por 4 a 1 no último sábado e foi mantida por Claudinei em uma bateria de treinos nesta quinta-feira.

O treinador dividiu o grupo em três e, um deles, tinha exatamente a formação acima. Os jogadores revezavam entre as três atividades: dois toques em gol caixote, técnico em campo reduzido e uma espécie de bobinho, sem traves, apenas para aperfeiçoar o controle de bola.

Antes, o treino foi comandado pelo preparador físico Ricardo Rosa, na parte mais descontraída da atividade. Divididos em dois times, o objetivo era trocar ao menos dez passes consecutivos. A equipe que conseguisse isso, em espaço reduzido, fazia o outro pagar um castigo: no caso, uma sessão de polichinelos, que rendeu gargalhadas dos atletas.

A atividade não contou com três jogadores que estão no departamento médico, lesionados: o zagueiro Neto e os volantes Arouca e Renê Júnior. Os laterais Cicinho e Mena, contratados recentemente, treinaram e podem ficar no banco de reservas. O Santos ainda tenta regularizá-los na CBF.

Aranha, Galhardo, Edu Dracena, Durval e Léo; Alan Santos, Cícero, Leandrinho e Montillo; Neilton e Willian José. Este é o time do Santos que deve estar em campo para encarar o Coritiba, líder do Brasileirão, no próximo domingo, na Vila Belmiro. A formação é a mesma que goleou a Portuguesa por 4 a 1 no último sábado e foi mantida por Claudinei em uma bateria de treinos nesta quinta-feira.

O treinador dividiu o grupo em três e, um deles, tinha exatamente a formação acima. Os jogadores revezavam entre as três atividades: dois toques em gol caixote, técnico em campo reduzido e uma espécie de bobinho, sem traves, apenas para aperfeiçoar o controle de bola.

Antes, o treino foi comandado pelo preparador físico Ricardo Rosa, na parte mais descontraída da atividade. Divididos em dois times, o objetivo era trocar ao menos dez passes consecutivos. A equipe que conseguisse isso, em espaço reduzido, fazia o outro pagar um castigo: no caso, uma sessão de polichinelos, que rendeu gargalhadas dos atletas.

A atividade não contou com três jogadores que estão no departamento médico, lesionados: o zagueiro Neto e os volantes Arouca e Renê Júnior. Os laterais Cicinho e Mena, contratados recentemente, treinaram e podem ficar no banco de reservas. O Santos ainda tenta regularizá-los na CBF.