icons.title signature.placeholder Rafael Valesi
icons.title signature.placeholder Rafael Valesi
21/07/2013
08:00

O Brasil terá um desafio dupla pela frente na noite deste domingo para tentar conquistar o décimo título da Liga Mundial, em Mar del Plata. Em primeiro lugar, a equipe do técnico Bernardinho terá a Rússia pela frente, que vem sendo a pedra no sapato do time recentemente, ao vencer a Seleção na final da Olimpíada e na abertura da fase final da liga, na última quarta-feira. E em segundo, o time chegará "baleado" na decisão, com jogadores lesionados e longe das melhores condições físicas.

A equipe tem pelo menos três preocupações na parte médica. O oposto Leandro Vissotto ficou fora dos jogos contra o Canadá e Bulgária por conta de um edema no tendão patelar do joelho esquerdo, que vem lhe causando dores. Na semifinal contra os búlgaros na noite de sábado, o central titular Éder ficou o tempo todo no banco de reservas, também por um problema no joelho direito. Para piorar, o ponta Dante deixou o confronto semifinal no terceiro set, após chocar-se em Lucarelli e reclamar de dores. O local lesionado? Novamente o joelho. 

Ao longo da temporada, a Seleção Brasileira teve outros problemas físicos. O ponta Murilo está fora de ação, após ter feito uma cirurgia no ombro após a Superliga Masculina. E durante a primeira fase, o central Isac sofreu uma luxação exposta em partida contra a Argentina. O jogador, já recuperado, substituiu Éder contra a Bulgária.

- É nas dificuldades que temos de nos juntar ainda mais. O grupo está unido, e nos momentos mais difíceis está fazendo o que não está acostumado, como o Lipe que entrou de oposto. Está todo mundo se doando um pouquinho a mais para suprir essas ausências de alguma maneira. Na final não tem isso, vamos entrar com o time que tiver - falou o capitão e levantador Bruninho, sobre os desfalques do time.

O jogador ainda descartou qualquer sentimento de revanche contra os russos na partida deste domingo, apesar dos últimos tropeços diante do adversário.

- Não tem (revanche), o que há é um sentimento de ganhar muito grande. Agora são outras gerações, outros times. É um novo ciclo começando, queremos começar vencendo - falou Bruninho.

O Brasil irá em busca de seu décimo título na Liga Mundial às 20h (de Brasília) deste domingo, no Ginásio Poliesportivo Islas Malvinas, em Mar del Plata. Já a Rússia tentará seu terceiro caneco na competição.

*O editor viaja a convite da FIVB

O Brasil terá um desafio dupla pela frente na noite deste domingo para tentar conquistar o décimo título da Liga Mundial, em Mar del Plata. Em primeiro lugar, a equipe do técnico Bernardinho terá a Rússia pela frente, que vem sendo a pedra no sapato do time recentemente, ao vencer a Seleção na final da Olimpíada e na abertura da fase final da liga, na última quarta-feira. E em segundo, o time chegará "baleado" na decisão, com jogadores lesionados e longe das melhores condições físicas.

A equipe tem pelo menos três preocupações na parte médica. O oposto Leandro Vissotto ficou fora dos jogos contra o Canadá e Bulgária por conta de um edema no tendão patelar do joelho esquerdo, que vem lhe causando dores. Na semifinal contra os búlgaros na noite de sábado, o central titular Éder ficou o tempo todo no banco de reservas, também por um problema no joelho direito. Para piorar, o ponta Dante deixou o confronto semifinal no terceiro set, após chocar-se em Lucarelli e reclamar de dores. O local lesionado? Novamente o joelho. 

Ao longo da temporada, a Seleção Brasileira teve outros problemas físicos. O ponta Murilo está fora de ação, após ter feito uma cirurgia no ombro após a Superliga Masculina. E durante a primeira fase, o central Isac sofreu uma luxação exposta em partida contra a Argentina. O jogador, já recuperado, substituiu Éder contra a Bulgária.

- É nas dificuldades que temos de nos juntar ainda mais. O grupo está unido, e nos momentos mais difíceis está fazendo o que não está acostumado, como o Lipe que entrou de oposto. Está todo mundo se doando um pouquinho a mais para suprir essas ausências de alguma maneira. Na final não tem isso, vamos entrar com o time que tiver - falou o capitão e levantador Bruninho, sobre os desfalques do time.

O jogador ainda descartou qualquer sentimento de revanche contra os russos na partida deste domingo, apesar dos últimos tropeços diante do adversário.

- Não tem (revanche), o que há é um sentimento de ganhar muito grande. Agora são outras gerações, outros times. É um novo ciclo começando, queremos começar vencendo - falou Bruninho.

O Brasil irá em busca de seu décimo título na Liga Mundial às 20h (de Brasília) deste domingo, no Ginásio Poliesportivo Islas Malvinas, em Mar del Plata. Já a Rússia tentará seu terceiro caneco na competição.

*O editor viaja a convite da FIVB