icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
22/02/2015
17:56

 

É até engraçado dizer, mas ainda havia muita gente desconfiada de Robinho nesta terceira passagem pelo Santos. Como se 31 anos fosse algum absurdo para um jogador de alto nível. Ou como se sua história no clube não fosse representativa o suficiente. Aos incrédulos, dois gols, fim do jejum de três meses sem marcar, uma assistência e vitória confortável diante da Portuguesa: 3 a 1.

Diante de bom público no Pacaembu, o Peixe dominou a Lusa do início ao fim. Méritos para outro nome visto com desconfiança, que é Enderson Moreira. O time aos poucos encontra um jeito de jogar, com toques de inspiração e bom futebol. Foi assim, dando combate, marcando firme no meio e saindo com qualidade que o Peixe construiu o placar. Claro que a frágil Portuguesa contribuiu. Mas o Peixe brilhou.


E MAIS: 
> ATUAÇÕES: Robinho reina no Pacaembu e comanda vitória do Peixe
>  Confira como foi a partida no Pacaembu lance a lance
> Veja como está a classificação do Campeonato Paulista

O gol que abriu a contagem foi de placa. Um lançamento precioso do goleiro Vanderlei encontrou Robinho bem posicionado. Velocidade, jeito, drible e chute de chapa, sem defesa. Gol de quem sabe.

Elétrico, o camisa 7 continuou sobrando. Recebeu na linha de fundo e, mesmo sem ângulo, abusou da habilidade para fintar a marcação e ser derrubado. A arbitragem achou que foi dentro da área e o pênalti, batido com precisão pelo ídolo da 7.

Como cantou a torcida, era o Santos querendo golear. E aí faz o quê? Toca no Robinho! Preciso na finta, melhor ainda no cruzamento para Cicinho – titular só pela lesão de Chiquinho – fazer o dele. O terceiro de um time absoluto em 45 minutos.

Era tarde de Robinho. Mas também era de David Braz, um monstro atrás. De Vanderlei, incrível na meta. De Lucas Otávio, um motorzinho na estreia, e especialmente, de Enderson, que fez tudo funcionar. Nem as vaias ao treinador pela troca de Robinho por Gabigol ou o gol de honra marcado por Jean Mota aos 44 do segundo tempo mancharam o bom desempenho do Peixe.

Sabia que a Portuguesa estava invicta no Paulistão? E que o zagueiro Valdomiro, ídolo da Lusa, completou 100 jogos pelo clube? E que só ontem o Peixe fez 50% dos gols que já tinha feito até aqui? E que a defesa segue como uma das melhores do torneio? Robinho não deixou ninguém pensar em nada disso. Como nos velhos tempos.

FICHA TÉCNICA
PORTUGUESA 1 X 3 SANTOS

Local: Estádio do Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 22/2/2015 / 16 horas
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza
Auxiliares: Bruno Salgado Rizo e Tatiane Sacliotti dos Santos Camargo
Renda/público: R$ 412.350,00 / 12.814 pagantes
Cartões amarelos: Fabinho Capixaba, Alex Lima (Portuguesa); Cicinho (Santos)
Cartão vermelho: Alex Lima, 11'/2ºT (Portuguesa)
Gols: Robinhos, 17'/1ºT (0-1); Robinho, 33'/1ºT (0-2); Cicinho, 45'/1ºT (0-3); Jean Mota, 44'/2ºT (1-3)

PORTUGUESA: Rafael Santos, Fabinho Capixaba (Perema - 14'/2ºT), Alex Lima, Valdomiro e Paulo Henrique; Ferdinando, Betinho, Léo Costa e Edno; Popó (Jean Mota - intervalo) e Diego (Filipi Souza - intervalo). Técnico: Ailton Silva.

SANTOS: Vanderlei, Cicinho, Werley, David Braz e Victor Ferraz; Lucas Otávio, Renato (Elano - 24'/2ºT) e Lucas Lima; Geuvânio (Marquinhos Gabriel - 34'/2ºT), Robinho (Gabigol - 28'/2ºT) e Ricardo Oliveira. Técnico: Enderson Moreira.