icons.title signature.placeholder Marcio Porto
18/03/2014
17:13

No próximo mês de abril, antes de eleger o presidente que sucederá Juvenal Juvêncio, o São Paulo terá assembleia geral para a escolha de 80 novos conselheiros. E essa disputa também agita os bastidores do clube. Cada lado conta com um personagem de maior evidência: na situação, o ex-diretor de futebol Adalberto Baptista, na oposição, Henri Castelli, ator da TV Globo.

Os dois sócios do clube são objetos de provocações e troca de farpas entre situação e oposição, que terão Carlos Miguel Aidar e Kalil Rocha Abdalla como candidatos à presidência, respectivamente. A diferença é que Adalberto é ironizado por não concorrer ao pleito e Castelli, por sua candidatura.

Figura emblemática da maior crise da história do São Paulo, vivida durante o Campeonato Brasileiro do ano passado, Adalberto Baptista decidiu não tentar reeleição como conselheiro há algumas semanas. A alegação do ex-diretor de futebol de Juvenal Juvêncio foi de cunho pessoal, como disse em contato com LANCE!Net.

- Tenho andado muito atarefado com questões pessoais e não poderia me dedicar como gostaria. No entanto, vou seguir ajudando de alguma forma - disse.

No clube, Adalberto relatou a seus pares os afazeres nos próximos meses e a consequente ausência de tempo para se dedicar ao clube. No entanto, para oposicionistas, e até um companheiro de sua chapa ouvido pela reportagem, os motivos são outros. Para a oposição, Adalberto preferiu não se candidatar para não prejudicar a situação, a quem apoia, pois estaria queimado no clube, entre sócios e conselheiros vitalícios. Há quem diga que ele nem sequer se elegeria, devido aos problemas que acumulou durante sua gestão. O maior deles: trocar farpas públicas com o goleiro Rogério Ceni.

Do outro lado, a situação tira sarro com a presença de Henri Castelli na lista dos 120 nomes candidatos ao Conselho Deliberativo pela chapa da oposição. Dizem que é uma tentativa desesperada de trazer mídia e sócios para uma campanha defasada. Dirigentes e conselheiros citam a pouca atuação do ator global no clube para garantir que ele não será eleito e aposta, um fracasso.

A eleição do conselho acontece no próximo dia 5, pouco antes do pleito que decidirá o novo presidente. Os 80 conselheiros que serão eleitos pelos sócios se juntarão a 160 vitalícios do clube para escolher o novo presidente do clube.

A situação já definiu Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, como seu candidato para presidente do Conselho Deliberativo, enquanto a oposição ainda não apresentou seu nome.