icons.title signature.placeholder Bruno Giufrida
08/12/2013
09:27

Um ciclo se encerra neste domingo na vida de Claudinei Oliveira. Após mais de seis meses no comando do Santos, o treinador se despede da torcida e do elenco contra o Goiás, às 17h, no Serra Dourada.

E, como toda despedida, essa não será fácil. Na sexta-feira, concedeu a última entrevista no CT Rei Pelé. No sábado, comandou o treino derradeiro, se despediu dos amigos e embarcou para Goiânia.

Grato pela oportunidade e garantindo ter feito tudo o que podia pelo clube, ele afirma sair de cabeça erguida e diz que retornar ao clube no futuro não é obsessão.

– Deixo as portas abertas, tenho plena confiança disso. Mas não tenho a volta como objetivo, penso que pode ser ou não. Se for convidado, vai ser um prazer trabalhar aqui de novo – disse ao LANCE!.

Se os momentos na beira do campo ficarão marcados na memória dele, o cardápio do CT também. No sábado, após a atividade no campo, fez sua última refeição no local:

– A comida é maravilhosa, mas tem umas sobremesas que o bicho pega. No salgado a gente até consegue segurar a onda, mas tem um pavê que é palhaçada.

Na mala, não levou nada além do que o usual: material de trabalho e duas ou três mudas de roupa. Antes do jogo, o treinador já se despediu dos torcedores. Confira abaixo a carta escrita, a pedido do LANCE!Net, por Claudinei endereçada aos santistas.

"Santos, 07 de dezembro de 2013

Caros torcedores e torcedoras do Santos FC,

Gostaria, em primeiro lugar, de agradecer as várias manifestações de apoio, carinho e reconhecimento que tenho recebido desde que foi anunciado que eu não permaneceria na comando da equipe após o término da atual temporada.

Saibam que para mim foi uma grande honra ter dirigido o time no Brasileirão 2013 e, mais que isso, ter trabalhado por sete anos e dez meses nesse grande clube.

Em 2006, fui convidado para coordenar o "Projeto Nasce um Peixe" que tinha como objetivo captar atletas para as categorias de base.

De lá para cá foram várias avaliações técnicas, inúmeras visitas às escolas Meninos da Vila, trabalhei no segundo e terceiro andares da Vila Belmiro, até retornar ao meu habitat preferido: o campo.

Aí viera vários acontecimentos inesquecíveis:

- O primeiro jogo como técnico (sub-15 / 2009)
- O primeiro título: Campeonato Paulista Sub-15 (2009)
- O segundo título: Campeonato Paulista Sub-17 (2010)
- O terceiro título: Campeonato Paulista Sub-20 (2012)
- O quarto título: Copa São Paulo (2013)
- O primeiro jogo com a equipe profissional
- A primeira vitória

É claro que o caminho não foi só de flores, também tivemos os espinhos, mas nada que me fizesse deixar de acreditar que faríamos um bom trabalho.

Lamento, se em algum momento, os decepcionei, mas se erros cometi, não foi por falta de dedicação, comprometimento e muito menos de coragem, pois se não tivesse essa virtude, poderia estar até hoje em uma zona de conforto, dirigindo a equipe sub-20 ou até mesmo permanecer no clube como auxiliar técnico.

Sigo em frente, mas guardarei sempre na memória e no coração os momentos felizes que aqui vivi.

Um grande abraço,

Claudinei Oliveira"